Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Impasse entre governo e servidores deve atrasar votação de recomposição salarial em Minas

“Desrespeitou o parlamento”, afirmou deputado sobre afirmação de Zema que vetar PL se houver alterações_

14/03/2022 às 09:44

A falta de um acordo entre o governo e o funcionalismo público pode atrasar a votação da recomposição salarial na Assembleia Legislativa que, pela legislação eleitoral, tem o prazo até 2 de abril para votar a proposta. O governo anunciou na sexta-feira (11) que não há mais margem legal para negociação com os servidores. Segundo o executivo, a recomposição de 10,06%, equivalente à inflação de 2021, é o que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) permite. Após substituir o projeto original, incluindo pagamento retroativo para saúde e segurança e ampliando o abono fardamento para a Polícia Militar, o governo afirmou que está dada a palavra final. No entanto algumas categorias, principalmente as da segurança, não aceitam a proposta.


Alguns deputados disseram que se houvesse um acordo fechado entre governo e o funcionalismo, não haveria obstáculos para votação. No entanto, segundo eles, sem um acordo, a casa pode começar a votar e o governo decidir mais uma vez enviar uma nova proposta, como fez na sexta-feira passada. 

Climão
A declaração do governador, de que se houver alteração na proposta, ele vai vetar, também gerou revolta. Parlamentares que conversaram com a coluna disseram que o governador mais uma vez desrespeitou o parlamento e a autonomia e importância do legislativo.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou