Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Deputado retira nome da corrida pela PBH e Belo Horizonte freia flexibilização

12/06/2020 às 05:06

O Partido dos Trabalhadores (PT) realiza, no próximo domingo (14), reunião para definir como será a corrida pela Prefeitura de Belo Horizonte. O deputado estadual André Quintão, que era um dos cogitados, já retirou o nome e afirmou à coluna Em Cima do Fato que não será candidato. Dentro da legenda, são elencados nomes como dos deputados federais Rogério Correia e Reginaldo Lopes e da deputada estadual Beatriz Cerqueira. A tendência inicial é de que o partido tenha candidatura própria, mas, internamente, há grupos que defendem o apoio à reeleição de Alexandre Kalil. 

Circulou nas redes socais, nesta sexta-feira, um documento em defesa de uma frente da esquerda, chamado “Manifesto por uma BH democrática, popular e progressista”. De acordo com o texto, é preciso derrotar o bolsonarismo e resgatar a paixão pela militância e a vontade de mover as estruturas do poder. O documento é assinado por parlamentares do PT, do PC do B e do PSOL que, nos últimos dias, teve o nome da deputada federal Áurea Carolina levantado como uma possiblidade para disputar a prefeitura da capital. 

7 x 1 

No cenário nacional, o presidente do senado David Alcolumbre (DEM) devolveu ao governo federal a Medida Provisória 979, que dava ao ministro da educação Abraham Weintraub poderes para escolher reitores de universidades durante a pandemia de covid-19.  A regra se aplicaria a instituições nas quais o mandato vencesse nos próximos meses, sob a alegação de dificuldade de realização de eleições. A informação sobre a articulação para a derrubada da MP já havia sido adiantada, na quarta-feira, aqui na coluna.

O presidente do senado alegou que a proposta é inconstucional porque era a segunda vez que o governo federal propunha uma MP com o mesmo objeto, o que é proibido pela constituição em uma mesma legislatura, caso a primeira proposta tenha sido reprovada ou tenha perdido prazos. No caso, o processo de escolha de reitores já havia sido alvo de uma MP do governo federal, no ano passado, que alterava os pesos de votos de alunos, professores e funcionários que, pela norma, escolhem três nomes para que o governo federal decida por um deles. Dirigentes universitários haviam acusado o governo federal de tentar manipular o processo eleitoral com a proposta, reduzindo a autonomia nas universidades. Segundo a deputada federal mineira, Margarida Salomão (PT), que havia se reunido com representantes das instituições na quarta-feira, a devolução da MP foi um “7x1 para a democracia”, fazendo uma referência à goleada da Alemanha contra o Brasil no Mineirão, em 2014.

Fim do feriado de Tiradentes  

Na Assembleia Legislativa de Minas, o deputado professor Cleiton (PSB) protocolou uma nota de repúdio ao projeto de lei do deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança, que é monarquista, e propõe a extinção do feriado nacional de Tiradentes, 21 de abril, e cria o feriado de descobrimento do Brasil, no dia 22 do mesmo mês. Na justificativa, o deputado mineiro, que é professor de história, defende a importância da Inconfidência Mineira e de Tiradentes pela Independência do Brasil e contra a cobrança de impostos feita pela Coroa Portuguesa. 

“Só vem pra fechar” – e veio 

Na semana passada, questionado sobre a ausência do prefeito Alexandre Kalil na entrevista coletiva, o secretário municipal de saúde Jackson Machado respondeu: “Só vem se for pra fechar”. E hoje o prefeito apareceu. De acordo com Kalil, 74% de leitos de UTI estão ocupados, a taxa de transmissão chegou a 1,30, que é vermelho, e agora está caindo para amarelo com 1,19. Ainda de acordo com Kalil, o número de passageiros por semana em coletivos subiu 30 mil, alcançando 520 mil pessoas semanalmente, e a taxa de isolamento caiu de 48,8% para 46%, o que é preocupante. Por isso, a flexibilização foi paralisada na segunda fase, na qual 93% dos comércios da cidade estão abertos. Ele disse ainda que já conversou com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e vai se reunir com a Associação de Bares e Restaurantes (Abrasel). 

Lembrando que a região central, que compreende também a RMBH, foi orientada a retroceder da onda amarela, que abre comércios de médio risco, para a onda branca (baixo risco) por causa do número de infectados e da taxa de ocupação de leitos. Apesar de estar na região central, BH tem um protocolo próprio, não aderiu ao estadual. Mesmo assim, as ações de frear a flexibilização estão em sintonia. 

ABC da Política 

Taxa de Transmissão – cálculo que mostra quantas pessoas um paciente infectado é capaz de contaminar. A Taxa é representada pela letra R que significa o potencial de contaminação se ele for 1, uma pessoa é capaz de contaminar uma pessoa, se for 1,19 – um paciente infectado é capaz de infectar 1,19 pessoas (média).

*as definições de palavras do dia a dia da política, que citamos aqui na coluna Em cima do fato, você encontra no do ABC da Política, para consulta e compartilhamento, no Instagram @reporteredilenelopes

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Município admite necessidade de aumentar número de leitos pediátricos #itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Conteúdo publicitário Quer dar um toque especial naquele almoço de final de semana? A chef Clara Senra te ensina uma receita de strogonoff, mas um algo a mais!! Veja só! Quer...

    Acessar Link