Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Depois de anos sendo protagonista na polarização, PSDB busca saída mais ao centro

Filiação de vice-governador indica movimento de Minas por terceira via nacional

16/08/2021 às 03:59

A filiação do vice-governador Paulo Brant ao PSDB, mostra que o partido que durante muitos anos protagonizou a polarização em disputadas históricas com o PT, agora busca uma saída mais ao centro. 

A polarização veio se tornando cada vez mais extrema nos últimos anos e depois que Aécio Neves (PSDB) perdeu as eleições para Dilma Rousseff (PT), em 2014, não só o Brasil não teve mais paz na política, já que a vitória do Partido dos Trabalhadores não foi aceita e isso culminou no impeachment em 2016, como a derrota nacional enfraqueceu o PSDB que, na polarização, perdeu o espaço partidário para o PSL, legenda que não trazia nenhuma forte marca ideológica, mas que ao abrigar Jair Bolsonaro cresceu em tamanho e em ideologia agregada.

Nem nem 

A polarização caminhou para um caráter personalista e hoje é centrada nos nomes de Bolsonaro e Lula. O PSDB está na turma do nem-nem, nem um e nem outro, e faz esse movimento de forma nacional e também de forma regional. Para a presidência terá prévias, tendo como principais nomes o governador de São Paulo, João Dória, e o do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Pelas apurações internas que fiz, Dória ganha em votos de filiados e Leite em votos de mandatários; como o voto de quem tem mandato vale mais, Leite estaria na Frente, inclusive em Minas.

Movimento regional

No âmbito regional, o primeiro grande movimento que o PSDB faz é a filiação de Paulo Brant, vice-governador, que nós informamos mais cedo e que ocorre neste momento. O vice governador retorna ao ninho tucano depois de seis anos fora. Ele foi filiado ao partido de 2007 a 2015. Depois, em 2016 esteve no PSB, seria o candidato para suceder o prefeito Márcio Lacerda, mas Márcio desistiu da candidatura dele em um dia de semana à noite, a informação foi dada em primeira mão, por mim, na Itatiaia. Depois disso, foi para o Novo, se candidatou a vice de Zema, venceram a eleição em março, conforme nos também adiantamos, e deixou o Novo justamente por achar o partido radical em algumas questões. 

O que Brant vai disputar

Um típico social democrata, Brant vai para o PSDB e pode disputar a majoritária como governador, vice, como senador e, se for a deputado estadual e federal terá muita chance de vencer. Brant é um político querido pelos pares, de bom caráter, boa conversa, atento as pautas sociais, culturais, da educação e está, como disse em entrevista ao podcast Abrindo o Jogo, em busca de um projeto político nacional de terceira via para trabalhar nesse projeto e para fazer base pra esse projeto. Vamos aguardar cenas dos próximos capítulos!

PSDB com mais espaço no governo?

Um outro ponto ao qual devemos ter atenção é que, até 2022, o PSDB, que já tem a liderança na Assembleia e vários cargos no governo, agora tem a vice-governadoria. Vários tucanos, mesmo sendo da base, são críticos de Zema. E agora? Será que o jogo virou? PSDB e Novo vão juntos para as urnas em 2022 ou o casamento dura até o fim do mandato? Conforme o desenho vai se formando, e eu vou apurando, trarei as notícias e os bastidores aqui, sempre Em Cima do Fato

Instagram: @reporteredilenelopes
Twitter: @reporteredilene

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Jogador de 20 anos tem multa avaliada em R$ 7 milhões para clubes brasileiros

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Goleiro do América poderá voltar a jogar 'com mesmo nível de excelência'

    Acessar Link