Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Corrida pela PBH: militares são cobiçados por partidos para ocupar vagas de vice-prefeito 

16/09/2020 às 04:36

Termina nesta quarta-feira o prazo para a realização de convenções partidárias, e quatro dos 33 partidos aptos a disputar a eleição na capital estão realizando convenções hoje. Embora todos tenham definidos nomes de candidatos a prefeito ou candidatos que serão apoiados, nem todos têm vices e a decisão pode ser tomada até os 45 minutos do segundo tempo, no ato do registro de candidatura que termina dia 26, desde que o nome incluído na chapa esteja em condições de concorrer e que o partido tenha previsto na convenção, em sua documentação, alterações de última hora. 

Pela lei, para concorrer à eleição, todo cidadão deve estar filiado a algum partido político seis meses antes do pleito, exceto os militares da ativa. Para eles, a filiação não se dá nos mesmos moldes que para os demais e o vínculo partidário só é feito no ato da escolha em convenção, conforme ressaltou o advogado especialista em direito eleitoral Gustavo Riani, consultado pela coluna Em Cima do Fato. Uma outra vantagem para os militares é que eles não precisam se afastar com antecedência, a chamada desincompatibilização.

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, em consulta feita pela coluna Em Cima do Fato, militares da ativa, que estão trabalhando, devem se afastar do cargo para disputar as eleições para prefeito ou vereador, independente de ocuparem ou não cargo de comando. O prazo, porém, não é estabelecido em lei. No entanto, no processo de registro de candidatura o militar já deve apresentar comprovante do seu afastamento. O entendimento do TRE então é que no ato do registro de candidatura, eles já devem estar afastados. O prazo termina dia 26. 

Militares em alta 

O discurso e a popularidade do presidente Jair Bolsonaro ajudaram a eleger e a colocar em um lugar mais central as figuras do militarismo e dos militares. Os reflexos foram sentidos não apenas na eleição de 2018 (quando na comparação com o ano de 2014, o número de policiais militares e civis mais que quadruplicou, passando de 18 para mais de 70 em casas legislativas estaduais e federais) mas devem ser sentidos também na próxima eleição, como parte da onda de centro direita que permanece em alta no  país. 

Nomes cobiçados em Minas 

Com os rompimentos das barragens de mineração em Mariana e Brumadinho, os Bombeiros em Minas, pelo trabalho realizado, ficaram em evidência, dois deles, em especial, o Capitão Leonard Farah escreveu o livro Além da Lama, em que narra o resgate em Mariana e fala sobre técnicas de liderança, tema do segundo livro que ele vai lançar ainda neste mês. e o tenente Pedro Aihara, porta-voz da corporação que ficou conhecido no mundo todo como o rosto sereno em meio ao caos. Aihara virou palestrante. Os dois companheiros de farda também são badalados nas redes sociais e cobiçados pelos partidos. Pelo menos três legendas convidaram Farah para vice. As propostas não foram aceitas e eles evitam falar sobre o assunto, mas ambos vêm sendo sondados há meses e continuarão sendo, de acordo com as siglas, nas eleições de 2022. 

Briga velha no Novo 

E nessa terça-feira (15), após a divulgação de números do Índice Nacional da Educação Básica (IDEB), em que os anos iniciais da educação fundamental se mantiveram na quarta posição nacional, os anos finais subiram da 13ª para a 9ª e o ensino médio da 11ª também para a 9ª. O governador Romeu Zema (Novo) e secretária de educação concederam coletiva para comemorar. No entanto, o deputado Bartô (Novo), na sequência fez um post no facebook, criticando: “Não há o q se comemorar. Jogar purpurina em um resultado médio é um erro. (...) Mas como estão cobrando meu posicionamento... acho que ter um crescimento dentro da média do Brasil e abaixo do Sul/Sudeste/Centro-oeste (isso porque veio de quedas patéticas de governos passados), e permanecer dentre os piores estados nessa região (7o em 11) não é exatamente o que eu espero para Minas (...)”. 

As críticas do deputado à gestão da pasta não são novidade, começaram com as reclamações que integrantes do governo petista haviam sido mantidos na estrutura. Por causa de posicionamentos anteriores, no mesmo sentido, já houve indisposição dentro do partido Novo em relação ao deputado. 

*As definições de palavras do dia a dia da política que citamos aqui você encontra no do ABC da Política, para consulta e compartilhamento, no Instagram @reporteredilenelopes.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'O projeto introduz dispositivos claros e objetivos, com penalidade para aqueles que prestarem informações falsas ou deixarem de executar as medidas compensatórias', defend...

    Acessar Link