Ouça a rádio

Compartilhe

Como fica a volta às aulas no ano que vem?

Como as escolas particulares temiam, como o governador de Minas, Romeu Zema (Novo), chegou a dizer em uma reunião para prefeitos no meio do ano, de acordo com relato deles, mas depois da polêmica reviu a posição, e como nós informamos na aqui Itatiaia em primeira mão: aulas presenciais só em 2021. 

Antes ou depois da vacina? 

Os planos da Secretaria de Estado de Educação são de retomar as aulas, em formato híbrido (mesclando presencial com virtual), no início do mês de março para quando está previsto o começo do ano letivo, mesmo que até lá não haja vacina disponível para a população brasileira. Contudo, a previsão do secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, é que em fevereiro ou março, tenha início a vacinação. 

Consulta pública

No último dia 18, a Secretaria de Estado de Educação abriu uma consulta pública para ouvir de pais, professores e alunos sugestões para a volta às aulas. A consulta se encerra em 15 de janeiro e os resultados serão divulgados no início de fevereiro. 

Aulas online

A pretensão da secretaria é continuar com aulas online pela Rede Minas e pelo YouTube, mas tudo vai depender da liberação de recursos para a ação, que demanda contratação de equipe. A modalidade de aulas remotas também estaria condicionada ao estado de calamidade pública, que vence no dia 31 deste mês.

A confirmação da calamidade deve passar pela assembleia, que está em recesso, mas segundo o secretário de Estado do Governo, Igor Eto, também está sendo costurada com o governo federal.  A secretaria ainda não definiu, mas o modelo híbrido teria, a princípio, uma semana presencial e uma semana virtual, alternadas, e começaria com os alunos mais velhos contemplando, gradativamente, os mais novos. 

Justiça

A secretária Júlia Santana fala em sensibilização do poder judiciário para liberação das aulas presenciais, já que a Justiça condicionou, a pedido do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE-MG), o retorno presencial à aplicação de um questionário diário sobre as questões de segurança. No entanto, a secretaria não recorreu da decisão o que, se ocorrer, provavelmente será próximo da data prevista para o retorno das aulas, quando o clamor popular pela volta estará mais forte e qualquer decisão contrária pode causar um reboliço. 

Rede Particular

A decisão de impedir o retorno afetou a rede pública e particular. Em BH, a guerra das escolas particulares com a Prefeitura, que não ofertou nenhuma modalidade de ensino aos alunos da rede municipal, ganhou um novo capítulo hoje: o prefeito anunciou um grupo de trabalho para discutir a reabertura das escolas privadas em 2021, conforme nos informamos em primeira mão.

Os representantes de escolas já anunciaram que levam para o comitê as seguintes questões: as escolas devem ser as primeiras a abrir e as últimas a fechar, o retorno não pode estar condicionado à vacinação e a decisão de abrir tem que ser tomada até o dia primeiro de fevereiro. Estas são algumas das questões. 

Vacinação

Esta colunista que vos escreve e vos fala acredita que, quando a vacina chegar, além dos grupos de risco, que incluem profissionais de saúde e idosos, crianças e adolescente em idade escolar, provavelmente, serão incluídos como prioridade na fila da vacina para acelerar o processo de retomada das aulas presenciais.

Mas esta é apenas uma ideia que tem sido recorrente para mim, nenhuma fonte falou, ninguém anunciou, mas me parece lógico, diante do alto risco de contágio no ambiente escolar, onde o contato físico é grande e há aglomeração, e da necessidade de dar uma solução a questão que se torna cada vez mais grave visto que, em BH, por exemplo, alunos da rede pública, até que se encontre uma solução exequível, perderam um ano escolar inteiro. 

As definições de palavras do dia a dia da política que citamos aqui você encontra no do ABC da Política, para consulta e compartilhamento no Instagram @reporteredilenelopes.