Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Como começa o 2022 dos presidenciáveis: Covid, viagens, vices, lançamentos, dúvidas, slogans

19/01/2022 às 10:18


Ciro Gomes (PDT) lança pré-candidatura à presidência da república na próxima sexta-feira (21) em Brasília.
O slogan da campanha será “A Rebeldia da Esperança”.
Pedetistas disseram à coluna que parte da militância faz pressão por uma aproximação da ex-senadora e ex-ministra Marina Silva (Rede) para articulação de uma composição como vice. No Rede, Marina é cotada como candidata a deputada federal por São Paulo. 
Ciro Gomes deve se encontrar ainda com Joaquim Barbosa, ex-ministro do STF, para sondá-lo também.


Lula
O lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Lula, que seria em fevereiro na Praça da Estação, em BH, foi cancelada. Segundo correligionários, por causa do avanço da Covid. 
Até agora o PT foi o único que tem cogitado abertamente um nome para vice, o que adversários acreditam que seja para desestruturar outras candidaturas.
O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deixou o PSDB e está sem partido. Foi convidado pelo PSB, sigla pela qual pode ser candidato a vice de Lula. Embora algumas leituras apontem essa como uma chapa com chances reais de vencer as eleições de 2022, é de buggar o cérebro de qualquer eleitor ver adversários históricos, um nome clássico do PT e outro do PSDB (mesmo que tenha deixado o partido, Alckmin foi um tucano emblemático) no mesmo palanque.
Os petistas que não aceitam Alckmin lançaram até a hastag #lulasemchuchu.
Tem uma ala importante do partido que defende o nome de Alckmin, mas preferiria que fosse no PSD, de Gilberto Kassab, e não no PSB.
Inclusive, PT e PSB devem se reunir em Brasília nesta quinta-feira (20) para acertar os ponteiros. A disputa por palanques estaduais, ponto importante para a costura da candidatura federal, está na pauta.


Rodrigo Pacheco
Muitos apoiadores do presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD), acreditam que ele perdeu o timing para se lançar, efetivamente, como presidenciável e que isso enfraqueceu a pré-candidatura dele de forma irreversível. A avaliação não será ignorada por Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD e idealizador da candidatura de Pacheco. 


Jair Bolsonaro
Depois de emplacar o Auxílio Brasil, Bolsa Família turbinado, o presidente da República Jair Bolsonaro, no mês que vem, marca presença no Nordeste, reduto eleitoral do ex-presidente Lula.

Sergio Moro
Positivo pra Covid-19, o ex-juiz Sérgio Moro, sai do isolamento na próxima segunda-feira (24) e deve cumprir agendas em São Paulo. Em entrevista ontem, à Joven Pan, ele disse que os demais pré-candidatos à Presidência estão "abraçados com a impunidade” e que ele tem sido a única voz crítica à anulação das condenações da Lava-jato. Com essas declarações, a depender das alianças que fará no futuro, Moro corre o risco de ser acusado, mais uma vez, de incoerência.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou