Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Câmara derrubou o voto impresso, mas Bolsonaro não vai desistir de questionar as urnas

Apesar de não atingir mínimo necessário, proposta teve mais votos favoráveis do que desfavoráveis

11/08/2021 às 09:33

A base precisava de 308 votos, não tinha todos esses votos para a aprovação do voto impresso, como a gente vinha adiantando aqui na coluna nos últimos dias, mas teve 229 votos favoráveis, mais que os votos contrários que foram 218.

Maioria dos mineiros que votaram são a favor

De Minas, quase metade dos 53 deputados federais, votou a favor. Se tem representatividade de fato, se os eleitos representam a população, quase metade do eleitorado mineiro seria a favor do voto impresso. Será? É uma questão para a gente pensar.

Aécio

Aécio Neves, que não engoliu ter perdido a eleição para ex-presidente Dilma Rousseff, em 2014, chegou a defender 3% das urnas auditáveis, mas na votação se absteve. Foi alvo de críticas por ter ficado em cima do muro, porque não quer ficar ao lado de Bolsonaro, mas a verdade é que ele poderia ter feito como outros parlamentares e simplesmente faltado à sessão. É uma saída fácil pra quem não quer comprar briga nem com um lado e nem com o outro. 

PEC no senado

O que é importante deixar claro é que a PEC foi enterrada, como disse Lira, na Câmara, mas ainda tem uma PEC do voto impresso no senado que pode ser desengavetada no senado e depois vai ser enterrada outra vez. Mas o presidente não vai desistir nem do voto impresso e nem de questionar as eleições que ele sabe, que ele corre o risco de perder embora ainda seja um nome muito forte e com muito apoio popular.

Instagram: @reporteredilenelopes
Twitter: @reporteredilene

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Pais revelam alívio pela imunização e segurança na eficácia das vacinas

    Acessar Link