Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

BH: os recordes e as 'surpresas' de uma eleição em plena pandemia 

16/11/2020 às 04:25

Resumo da eleição municipal em Belo Horizonte

- O prefeito Alexandre Kalil consolidou vitória prevista nas pesquisas e, ao que tudo indica, a forma como lidou com a pandemia não teve o impacto negativo que os adversários esperavam 

- O apoio de Bolsonaro, embora tímido, à candidatura de Bruno Engler, parece tê-lo ajudado na reta final e o candidato, embora distante do primeiro colocado, permanecendo na casa dos 9% contra mais de 60% ocupou a segunda posição

- João Vitor Xavier (Cidadania), que vinha na segunda posição, e Áurea Carolina, na terceira, caíram para a terceira e quarta posições respectivamente
 
- O tempo de televisão do candidato do Cidadania, o maior de todos, e a maior coligação, podem não ter sido diferencial para alavancar a campanha 

- Os dois eleitos mais votados representam campos ideológicos opostos 

- BH elegeu a primeira vereadora trans da capital 

- Duda Salabert (PDT) é a vereadora mais votada da história de Belo Horizonte com 37.613 votos, batendo o recorde de 20.157 votos recebidos por Elias Murad, em 2004, até então o candidato mais votado do Legislativo Municipal em BH 

- O segundo mais votado desta eleição e da história de BH é o jovem conservador Nikolas Ferreira, do PRTB, candidato apoiado pela família Bolsonaro na capital, com 29.320 votos 

- Aumento de renovação (subiu de 56 para 58,3%), com 17 reeleitos e 24 novatos

- Número de mulheres na casa subiu de quatro para 11, bancada feminina praticamente triplicada

- O número de partidos na casa aumentou de 19 para 23 (O Brasil tem hoje 33 partidos aptos a concorrerem as eleições) 

- Os partidos que não estavam e entraram para a Câmara são PRTB, PDT, PP, PL, PMN e Rede

- As maiores bancadas são: PSD (06), PP (04), PDT (03), Novo (03) e Avante (03)

- Políticos que estavam na Câmara desde a década de 90 não se reelegeram como Arnaldo Godoi do PT (07 mandatos) e Preto do DEM (06 mandatos)

- Partidos tradicionais e que protagonizaram as disputas nacionais e regionais nos últimos anos fizeram poucas cadeiras, PT fez duas e PSDB fez uma 

- PSL, antigo partido de Bolsonaro, fez apenas um vereador 

- Nomes conhecidos tentaram voltar à casa e não conseguiram como a ex-vereadora Elaine Matozinhos (PTB) e a ex-deputada federal Jô Morais (PC do B)

- Pedro Patrus (PT), Gilson Reis (PC do B) e Jair de Gregório (PSD), que chegou a adotar o nome Bolsonaro no painel da Câmara estavam entre os que esperavam ser eleitos e ficaram de fora

- Candidatos sem mandatos, mas considerados fortes em suas bases como Kerison Lopes (PT), Lucas Pitta (Novo) e Leonardo Ângelo (Cidadania) acabaram não conquistando cadeiras

Futuro

Alexandre Kalil vai enfrentar uma Câmara Municipal em que terá a maior bancada mas, ainda assim, um número grande de partidos, o que dificulta um pouco a governabilidade. Muitos candidatos que entraram por partidos pequenos para terem mais chances de ser eleger em legendas sem concorrentes internos com mandato rapidamente devem começar mudar de partidos, o que não necessariamente é o melhor negócio, já que muitos que mudaram para o partido do prefeito ficaram de fora, massacrados pela concorrência interna. 

O voto por ideologia ainda tem força, visto que os dois primeiros eleitos são de campos diferentes. Kalil é potencial candidato ao governo de Minas, os cabeças do partido, como o presidente estadual senador Carlos Viana demonstram alinhamento com o presidente Jair Bolsonaro, o que do ponto de vista de investimentos pode ser excelente pra capital. A legenda saiu fortalecida das eleições, embora haja uma clara rusga entre os senadores e o líder do partido na Câmara, deputado Federal Diego Andrade, no que diz respeito ao prefeito Alexandre Kalil.

Com a vitória, Kalil é potencial candidato ao governo de Minas em 2022 e Romeu Zema que viu seu partido aumentar a bancada na Câmara de um para três vereadores, mas teve seu candidato na capital em quinto lugar, tem mais um campo político adversário consolidado pra eleição a governador. 

As definições de palavras do dia a dia da política que citamos aqui você encontra no do ABC da Política, para consulta e compartilhamento no Instagram @reporteredilenelopes.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Entre as drogas estavam 307 quilos de maconha

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Negócio envolve R$ 7,5 bilhões e a aquisição de 386 unidades de varejo de autosserviço

    Acessar Link