Anônimo

Coluna do Anônimo

Veja todas as colunas

Esportes

“Be patient” mineiro

Se lá na Europa o pedido de paciência é pelo excesso de futebol, por aqui a gente tem usado a palavra pela falta dele.

10/02/2020 às 06:34

“Be patient” - essa foi a frase que marcou o penúltimo fim de semana. É que na goleada do Paris Saint Germain por 5 a 0 sobre o Montpellier, Neymar foi advertido pelo árbitro do jogo por dar uma lambreta no adversário. Resultado? Ficou nervoso, xingou o juiz, que pediu paciência ao atacante. Para muitos, o ‘be patient’ deveria ser da parte do árbitro, que puniu uma jogada de efeito e, mais que isso, de beleza e brasilidade. 

Se lá na Europa o pedido de paciência é pelo excesso de futebol, por aqui a gente tem usado a palavra pela falta dele. Atlético e Cruzeiro vieram de um fim de ano negativo - o alvinegro, abaixo da média; o celeste, desastroso. E o início do ano é de mudanças em ambas as equipes. 

O Atlético prometeu contratar para 2020, e assim tem feito. A começar pelo técnico, Rafael Dudamel, que traz ao clube uma filosofia totalmente diferente das anteriores e até das vistas do Brasil: comprometimento total. Enquanto os reforços mais urgentes não chegam, o torcedor deposita nele a mudança pedida para a temporada. 

Em tempo: do meio para o fim de novembro passado, o clube da Cidade do Galo já sabia que 2019 não tinha mais nada para render, por isso, podia ter adiantado seu planejamento para 2020. Não foi feito; e hoje, no segundo mês do ano e com competições importantes em andamento, os resultados atuais podem ser cruciais e negativos para o restante da temporada, além de prejudicar a proposta de Dudamel. 

Aqui entra a paciência: responsabilidade é da diretoria; é preciso dar crédito e tempo ao treinador. 

Já o Cruzeiro encerrou 2019 com a impressão de que encerraria também seu ciclo no futebol. E não foi assim. Aos trancos e barrancos, o barco está sendo tocado. É necessário, porém, não parar, nem reduzir as cobranças e investigações. Assim como o Atlético, a equipe demorou muito a tomar providências, mas a consequência foi maior: a queda para a Série B. 

Com uma equipe rejuvenescida e ainda imatura, é preciso ter paciência com os garotos. Hora a bola vai correr mais, outra, as pernas serão mais ágeis. Vai ter momento em que o chute ao gol será na hora do passe, outra que o passe poderia ser uma finalização. Assim como a torcida está aprendendo a lidar com a nova realidade do clube, os jogadores estão aprendendo a lidar com o profissional e responsabilidade com a bola no pé. 

Não dá para esperar. Tudo agora é para ontem. De todos os lados. Enquanto eles correm do prejuízo, pegamos o último exemplo europeu para nós: be patient.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Com a proximidade da data em que devem ser registrados o maior número de casos, ele disse que o estado mineiro não deve perder pacientes por falta de atendimento médico. #Itat...

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Apesar de ter capacidade para 768 leitos, estrutura vai ser aberta com apenas 30 leitos de enfermaria liberados. #Itatiaia

    Acessar Link