Anônimo

Coluna do Anônimo

Veja todas as colunas

Esportes

A grama mais verde

E nesse momento de holofotes escancarados para a Toca da Raposa, não podemos descuidar e apagar as luzes na Cidade do Galo.

07/01/2020 às 05:58
A grama mais verde

Amigos, temos uma mania de achar que ‘a grama do vizinho é sempre mais verde que a nossa’. Por sorte, ou não, no futebol as coisas são diferentes. Temos por tradição achar que o nosso time que é melhor que o do outro. Isso é ótimo, mas para o torcedor. Em campo ou nos bastidores é preciso ‘deixar o vizinho’ de lado e se preocupar em, de fato, ser o melhor.

América e Cruzeiro estão na Série B do Brasileirão; um praticamente montado, o outro necessitando se desmontar. Enquanto isso, o Atlético é o único representante de Minas Gerais na Série A. E o que um tem a ver com o outro: N.A.D.A. Cada um deve tomar seu rumo e projetar sua temporada. E nesse momento de holofotes escancarados para a Toca da Raposa, não podemos descuidar e apagar as luzes na Cidade do Galo.

Passamos dezembro batendo em uma única pauta atleticana: técnico. Sampaoli nos ensinou em poucos dias de negociação o que devemos levar para toda e qualquer barganha que o futebol tiver: há limite para tudo, e o limite de qualquer clube é saber e se posicionar como maior e protagonista. Não à toa, o espaço no canto esquerdo do peito é o escudo do time. 

Sem sucesso com o argentino, veio a negociação com êxito do venezuelano Rafael Dudamel. Por questões burocráticas, sua oficialização só poderia ser feita no início de janeiro - como bem foi feito. E se o acerto técnico agarrava as negociações com jogadores, abrimos 2020 com o planejamento ainda no início e uma preocupação antiga: dará tempo, nesta pré-temporada, para sondagem, negociação, contratação, demissão, entrosamento, e etc?

Tivemos no Atlético dos últimos 30 anos - vou repetir: trinta anos - apenas dois técnicos que começaram e encerraram a temporada no comando da equipe. É justo dar a Dudamel ou quem quer que seja a responsabilidade INSTANTÂNEA de fazer um ano totalmente diferente do anterior sabendo que se os resultados não vierem INSTANTANEAMENTE a torcida perderá a paciência e o mandará embora EM INSTANTES? É o famoso descarte de técnicos do futebol brasileiro.

A temporada 2019 foi desastrosa. Nenhum título, apenas uma final, objetivos mudados ao longo da temporada, vários técnicos, equipe sem consistência e titularidade bastante alterada. O novo ano depende das mudanças práticas para que seja, de fato, diferente. E não dá mais para esperar! Não é porque não caiu para a Série B que está tudo bem. A grama do vizinho está falhada, mas nem por isso a atleticana está verde. É hora de escolher as boas sementes para plantar certo e colher melhor ainda.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    "A família me procurou no início do mês, estava preocupada por ele estar sem advogado", explicou o advogado #itatiaia

    Acessar Link