System.Collections.Generic.List`1[Site.ViewModels.BannerTopoViewModel]

Notícias

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso afirmou na noite desta quinta-feira, 16, que só espera a resposta sobre o cancelamento de contrato com uma empresa internacional cliente de seu escritório de advocacia para aceitar o co

Expectativa

Por Agência Estado , 17/02/2017 às 15:29
atualizado em: 18/02/2017 às 12:21

Texto:

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso afirmou na noite desta quinta-feira, 16, que só espera a resposta sobre o cancelamento de contrato com uma empresa internacional cliente de seu escritório de advocacia para aceitar o convite do presidente Michel Temer para assumir o Ministério da Justiça. "Eu quero servir o meu país", disse Velloso à reportagem.

Segundo Velloso, ele transmitiu a Temer, às 21h30 de quinta, que estava "tentando afastar questões pertinentes a contratos" que exigem a participação direta dele para dar a resposta definitiva ao presidente. A questão foi encaminhada para ser avaliada pelo setor de compliance da multinacional. De acordo com o ex-presidente do STF, o prazo limite combinado com Temer para a decisão é hoje.

Caso assuma o Ministério da Justiça, Velloso terá de deixar de atuar como advogado, seguindo o Estatuto da Advocacia.

Escreva seu comentário

Preencha seus wdados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Raquel Dodge não quer mais receber auxílio-moradia; benefício é de R$ 4,3 mil mensais: https://t.co/rxjlnVj3XA https://t.co/sP9N1KY2fg

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Há dificuldades, mas dificuldades são herdadas e estamos combatendo', diz Temer: https://t.co/UbBz8jeswI https://t.co/mFFGmvZQJF

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Benefício de R$ 4,3 mensais é pago a mais de 17 mil magistrados e quase 13 mil procuradores do Ministério Público Federal.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Maia estaria receoso de os deputados aprovarem a criação de um fundo público para bancar as campanhas enquanto o Senado discute uma PEC para ressuscitar o financiamento privado.

    Acessar Link