Notícias

Tip Top: o restaurante mais antigo de BH e que sempre foi administrado por mulheres

Por Redação, 13/08/2019 às 11:59
atualizado em: 13/08/2019 às 12:37

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Foto: Edilene/Lopes
Edilene/Lopes

Fundando em 1929 pela tcheca Paula Huven, o Tip Top é o restaurante mais antigo de Belo Horizonte e carrega uma peculiaridade: sempre foi administrado por mulheres. À época da inauguração, o estabelecimento ganhou notoriedade por trazer novidades para a culinária da capital mineira, como frios e embutidos. 

Este é o segundo episódio da série de reportagens especiais da Itatiaia sobre histórias e curiosidades dos estabelecimentos mais antigos de Belo Horizonte.

Ouça a matéria completa com a repórter Edilene Lopes

Leia também: Histórias e curiosidades do quase centenário Bar do Orlando, no Santa Tereza

O Tipo Top fez história na rua Espírito Santo, entre a avenida Afonso Pena e a rua dos Carijós, no Centro de Belo Horizonte, local em que permaneceu até 1971, quando mudou para a rua Rio de Janeiro, n° 1770, bairro Lourdes, onde está até hoje. O restaurante funciona todos os dias, das 11h à 0h.

Apresentador da Itatiaia, Acir Antão é um dos nomes que tiveram história no restaurante. “Eu frequentava com meu pai e ali aprendi a comer a salada de batatas”, relembra citando um dos pratos mais tradicionais da casa. 

Uma das atuais proprietárias, Ludmila Carneiro destaca a tradição do restaurante e diz que o chop vendido pelo estabelecimento ao longo de nove décadas é o suficiente para abastecer todas as caixas de água de Belo Horizonte. “A população passaria um dia inteiro tomando banho com chop, bebendo chop, cozinhando com chop”, diz. 

Ludmila diz que são vários os clientes fiéis. Entre eles está um homem que vai ao restaurante todos os dias e fala com a esposa que foi comprar pão. “Ele vem à tarde, pede dois copos de whisky, dá dinheiro para o garçom, que vai à padaria e compra o pão, e ele volta para casa como se tivesse comprado”. 

Cleuza Silva também administra o restaurante. “A Ludmila me falou esses dias: ‘A gente não comprou um restaurante, a gente comprou um legado, uma história’. Mantivemos a estrutura. O Tip Top é uma referência”, destaca.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link