PMC - Maxi 970 x 150

Notícias

STJ rejeita liminar do Atlético para suspender ação de Fred na Justiça do Trabalho

Por Redação, 14/08/2019 às 16:46
atualizado em: 14/08/2019 às 17:12

Texto:

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou a liminar do Atlético para suspender o processo de Fred na Justiça do Trabalho, na forma de tutela de urgência, enquanto não é decidido qual órgão tem competência para julgar a ação em que o clube pede R$ 10 milhões pela transferência do atacante para o Cruzeiro em 2017. A decisão do ministro Ricardo Villas Bôas Cueva foi divulgada nesta quarta-feira.

Para rejeitar a tutela de urgência, o STJ argumentou que o Atlético não “comprovou o perigo de dano irreversível ou de difícil reparação”, caso a ação de Fred no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) não fosse suspensa.

No mesmo pedido, o Atlético queria que o STJ jugasse “conflito de competência” no caso para saber qual órgão poderá julgar o assunto: a Câmara Nacional de Resoluções de Disputas (CNRD), no âmbito esportivo, ou o TRT, na justiça comum. 

O Atlético deseja que o processo siga na CNRD, onde venceu nas duas instâncias condenando Fred a pagar os R$ 10 milhões. No entanto, no último dia que tinha para recorrer da decisão e levar o caso para a Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem (CBMA), a defesa do atacante conseguiu liminar na 13ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte para ‘congelar’ a decisão da CNRD. O STJ ainda irá definir qual órgão tem competência para julgar a ação.

Entenda o caso

Após a audiência entre Atlético e o atacante na Justiça do Trabalho, realizada no dia 1º de agosto, o clube alvinegro protocolou ação de conflito de competência no Superior Tribunal de Justiça (STJ). 

A ação do Atlético de conflito de competência se justifica pelo fato de o clube ter acionado a CNRD para julgar o processo que moveu contra Fred pedindo R$ 10 milhões, estabelecido no contrato de rescisão, pela transferência para o Cruzeiro no fim de 2017. O clube ganhou a causa no órgão, mas o jogador entrou na 13ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte e obteve, por meio de liminar, a suspensão da decisão na esfera esportiva.

Na audiência de conciliação do último dia 1º, na 13ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, o Atlético pediu para cassar a liminar que anulou a decisão da Câmara Nacional de Resoluções de Disputas.

O Atlético também pediu à Justiça para Fred apresentar uma planilha com os valores recebidos no Cruzeiro. O objetivo é provar que o atacante tem condições financeiras de arcar com os custos do recurso apresentado por ele no Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem contra a decisão inicial da CNRD. A defesa do jogador tinha entrado com pedido argumentando que o custo de R$ 500 mil é inviável.

A próxima audiência de instrução entre as partes está agendada para 20 de março de 2020.

A multa de R$ 10 milhões refere-se a uma cláusula da rescisão contratual de Fred com o Atlético, assinada em dezembro de 2017, em que o atleta se comprometia a desembolsar essa quantia caso se transferisse para o Cruzeiro. Horas após o rompimento amigável do vínculo com o Galo, o atacante foi oficializado pelo clube celeste.

O documento previa o pagamento até um dia útil após o centroavante ser registrado pelo Cruzeiro no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, o que ocorreu no dia 16 de janeiro de 2018. No entanto, o depósito não foi efetuado e o Atlético levou o caso para a CNRD.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link