Notícias

Rotas do medo: a carga da violência nas estradas de Minas Gerais

Por Redação, 02/08/2017 às 12:33

Texto:


 

O roubo de cargas se tornou tão grave que, em uma lista de 57 países, o Brasil é apontado como o oitavo mais perigoso para o transporte de produtos e mercadorias. Foram quase 98 mil ocorrências no país apenas no ano passado. Em Minas Gerais, dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apontam que houve um crescimento de 200% nos roubos a cargas em Minas. Em 2011, foram 282, enquanto no ano passado foram registradas 872, uma média superior a duas ocorrências por dia.

A reportagem da Rádio Itatiaia cruzou o estado para detalhar onde e como agem os criminosos. Foram mais de dois mil e quatrocentos quilômetros percorridos. Nossas equipes viajaram até o Triângulo, Norte de Minas e Grande BH. Na região de Uberlândia, já conhecida pela atuação de quadrilhas que roubam cargas, ouvimos vários relatos de medo, indignação e impunidade por parte das vítimas e autoridades que investigaram a atuação dos criminosos. 

Na Grande BH, o mesmo sentimento. A reportagem da Itatiaia passou por Contagem, Betim, Sabará e Juatuba, além das saídas para Brasília e Rio de Janeiro. E nas movimentadas rodovias que cortam essas cidades, os ladrões atuam à noite e até em plena luz do dia: abordam caminhoneiros, roubam as cargas e ainda agem com violência. 

Você acompanha aqui no nosso site como foi essa viagem dos repórteres Rafael Nonato e Alessandra Mendes e confere relatos exclusivos de vítimas de roubo de cargas em Minas e de caminhoneiros que desafiam o perigo para cruzar as estradas mineiras levando cargas de todos os tipos.

Escreva seu comentário

Preencha seus wdados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Cruzeiro paga Flamengo e Botafogo, mas dívida na Fifa preocupa, diz diretor - https://t.co/8Fnpe7bSYX https://t.co/5UMEgE8FnS

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Com 23 pontos, Atlético tenta se reabilitar no Brasileirão.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽"É difícil de falar. Parece que não pagou ninguém, nenhum atleta que foi contratado. Realmente nos preocupa muito”, diz Serginho, que culpa a gestão Gilvan de Pinho.

    Acessar Link