Notícias

Animais resgatados em Brumadinho ganham novos lares

A maioria dos cães e gatos são idosos ou possuem alguma deficiência física. Eles são tratados, reabilitados e ficam disponíveis para adoção.

Por Redação, 21/04/2021 às 11:09
atualizado em: 23/06/2021 às 18:23

Texto:

Desde o rompimento da barragem B1, em Brumadinho, a Vale mantém uma estrutura para identificação, cuidado e abrigo de animais domésticos e silvestres das áreas atingidas, batizada de Fazenda Abrigo de Fauna. No local, uma equipe de veterinários trata e acolhe animais domésticos e silvestres resgatados em áreas atingidas, encontrados em locais de obras emergenciais, em situação de risco nas comunidades impactadas ou deixados voluntariamente para adoção por seus antigos tutores.

Todos eles são acolhidos, tratados, castrados, vermifugados e vacinados. Mas a maioria dos animais sofre com problemas físicos ou são idosos, chamados de animais especiais, e esses fatores dificultam a adoção, como explica Magda Castro, analista ambiental e Gestora da Fazenda Abrigo de Fauna: “A maioria das pessoas buscam por filhotes na hora de adotar um pet. No entanto, é importante lembrar que os animais com mais idade ou com necessidades especiais também precisam de um lar. Eles são carinhosos e companheiros como qualquer outro animal clinicamente saudável ou mais jovem, mas acabam esperando até sete vezes mais na fila de adoção. Quando esses animais são adotados, eles passam a se sentir aceitos, integrados e se adaptam à uma nova realidade, ao tutor e à família que os recebe. Os animais são agradecidos e isso transcende, é possível sentir".

As deficiências mais comuns entre os pets para adoção são sequelas de atropelamentos e de maus-tratos, como cegueira, paralisia e amputação de algum membro. Há também casos em que o animal já nasce com algum tipo de deficiência, assim como casos onde a deficiência é desenvolvida por um problema de saúde, como a diabetes e a Leishmaniose.

É o caso do cão Francisco, que ganhou um novo lar e conquistou o coração de Gabrielle Rodrigues, que é Auxiliar de veterinário na própria fazenda e se rendeu à adoção: “O Francisco é um cão idoso e é positivo para leishmaniose. A doença está controlada, ele convive muito bem com outros animais e com a minha família. Eu costumo dizer para as pessoas que não fui eu que o adotei, mas foi ele quem me adotou. Ele chegou na minha casa em uma fase muito difícil, pois meu avô Nélito de Almeida, de 79 anos, sofria com depressão. O Francisco transformou a vida de todo mundo, principalmente a vida do meu avô. Eu acho que a adoção é um gesto de amor e carinho e eu fiz a melhor adoção do mundo, ao adotar o Francisco”.

A desinformação é um dos fatores que impede a adoção de animais deficientes e idosos. Atualmente são cerca de 200 cães e gatos aguardando por adoção. Além de serem tratados, os animais com deficiências físicas também são reabilitados, e recebem acompanhamento da equipe por seis meses após a adoção.

O Duque, por exemplo, é um cãozinho de três patas, que foi resgatado pela equipe de Veterinários da Vale. Na Fazenda Abrigou de Fauna ele recebeu todos os cuidados necessários e agora alegra a vida da família de seu novo tutor, Rogério Ramos: “Quando a gente decidiu que iriamos adotar um animal, decidimos que seria um animal especial. Fomos à feira que era promovida pela Vale, e quando vimos o Duque foi amor à primeira vista. Após o processo de adoção ele foi entregue pra gente e adaptação foi super rápida. O Duque consegue fazer todas as suas atividades como um cachorro normal. São meus filhos Marina, de 10 anos e o João, de 11 anos, que cuidam dele. Ele teve um papel fundamental na família e hoje a gente não consegue mais viver sem o Duque. O recado que deixo para quem quer adotar um animal especial é que vale muito a pena, tanto para a família quanto para o animal”.

Processo de adoção

A equipe de veterinários da Vale foi treinada para realizar entrevistas virtuais e todo o processo de adoção pode ser realizado também à distância. Em caso de sucesso, os veterinários realizam uma visita técnica na casa do interessado, uma vez que um pet especial precisa de um ambiente que seja passível de adaptação. A Vale ainda acompanha o animalzinho ao longo dos seis primeiros meses.

É possível conhecer os animais que esperam um novo lar pelo site: www.vale.com/melevapracasa

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Partida acontece nesta terça-feira (7), às 11h. No jogo de ida, times empataram por 0 a 0. #Itatiaia https://www.itatiaia.com.br/noticia/galo-x-bragantino-fazem-final-do-bras...

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Militares do Corpo de Bombeiros também atuam, nesta segunda-feira (6), para evitar reignição no Parque das Mangabeiras, em BH. #Itatiaia https://www.itatiaia.com.br/noticia/s...

    Acessar Link