Notícias

Obras de reconstrução de Bento Rodrigues mantêm rotina difícil após tragédia

Por Redação, 05/11/2018 às 10:40
atualizado em: 19/11/2018 às 17:00

Texto:

Você já se imaginou ficar sem casa por três anos? Longe dos seus objetos, pertences, plantas e vizinhos? Essa é a realidade para 225 famílias que residiam em Bento Rodrigues e de outras 140 famílias que moravam em Paracatu de Baixo, duas comunidades completamente destruídas pelo rompimento da Barragem de Fundão. A Itatiaia esteve nos últimos dias na cidade e ouviu dos atingidos que essa situação que se prolonga é uma tragédia a mais, uma tragédia diária. São três anos, 1095 dias após o fatídico 5 de novembro de 2015.

Iniciamos essa série de reportagens com o reassentamento das comunidades atingidas em Mariana. No ano passado, o repórter João Felipe Lolli esteve no terreno onde será construída a nova Bento Rodrigues. O local era só mato. Um ano depois, a situação é outra. O terreno localizado a cinco quilômetros do Centro de Mariana é um canteiro obras. São 450 operários trabalhando na supressão de árvores e no terraplenagem. No auge das obras, que terminam entre junho e agosto de 2020, serão 2.200 operários.

Muitos moradores de Bento vêm visitar, cotidianamente, as obras. Na visão deles, os trabalhos estão lentas. Em Paracatu de Baixo, a situação é ainda mais demorada. O reassentamento vai abrigar 140 famílias, e as obras sequer começaram. Ficar fora de casa, longe do convívio em comunidade, é um fardo muito grande pra esses mineiros e mineiras, marianenses do interior.

Nesta segunda-feira um grupo de atingidos faz um ato em Londres, na capital do Reino Unido. O grupo pretende faz a mobilização em frente ao escritório da australiana BHP Biliton, mineradora que, ao lado da brasileira Vale, é uma das controladoras da Samarco. Outros atos estão marcados pelo coletivo A Sirene, pelo Movimento dos Atingidos por Barragens e pelos próprios atingidos nas comunidades que mais sofreram com a tragédia, nas cidades de Mariana e Barra Longa.

OUÇA A REPORTAGEM COMPLETA COM JOÃO FELIPE LOLLI!

Leia também:

Mil dias depois, mil tragédias diárias: série da Itatiaia mostra como estão os atingidos

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link