Unimed Set Maxiboard interno

Notícias

Moradores relatam que sirenes para aviso de rompimento de barragem não tocaram

Por Agência Estado , 26/01/2019 às 09:12
atualizado em: 28/01/2019 às 12:46

Texto:

Foto: Fernando Moreno/Futura Press/Estadão Conteúdo
Fernando Moreno/Futura Press/Estadão Conteúdo

As ruas de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram tomadas pelo desespero nessa sexta-feira (25). Parte dos moradores teve de deixar suas casas por causa do avanço da lama, vinda do rompimento da barragem da Vale. Outros corriam atrás de notícias sobre parentes e amigos desaparecidos, em meio a boatos de todos os tipos. Relatos indicam que as sirenes de alerta da mina não funcionaram na hora do acidente.

"Foi tudo muito rápido. Momento de pânico, pessoas assustadas. Parecia cena de filme. Se pudesse já teria ido embora daqui", disse Maria Aparecida dos Santos, emocionada. "Há poucos meses, técnicos estiveram aqui na cidade para passar instruções da sirene. Falaram que, em caso de emergência, iria tocar. Mas não foi bem assim." O relato é igual ao de diversos moradores. O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, disse à imprensa no Rio de Janeiro que não sabia "se sirene funcionou".

No centro da cidade, a mineradora montou um gabinete de crise, que tinha filas por informações. "Estamos agoniados", contou a dona de casa Márcia Oliveira, que esperava nessa sexta-feira (25) à tarde informações sobre o irmão e sobrinhos. "Disseram pra gente vir para cá, mas não falam nada." Equipes recolhiam nomes de desaparecidos.

O município ficou inteiramente mobilizado. Gerilda Dalabrida, de 60 anos, cedeu espaço do seu restaurante para desabrigados. "Estamos seguros porque não estamos perto do rio." A lama não chegou ao centro – a área mais atingida foi o povoado da Vila Ferteco.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link