Notícias

Militantes do PT e movimentos sociais já esperam por Lula São Bernardo

Por Redação , 09/11/2019 às 10:55
atualizado em: 09/11/2019 às 13:03

Texto:

Militantes do Partido dos Trabalhadores (PT) e de movimentos sociais de esquerda já se concentram em grande número nos arredores do Sindicato do Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará, logo mais, por volta de 13h, de acordo com sua conta oficial no Twitter, seu segundo discurso após ter sido solto, nessa sexta-feira (8), da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Após deixar a prisão, o petista discursou por cerca de 15 minutos.

Fernando Pimentel (PT), ex-governador de Minas, não participará do ato. Procurado pela Itatiaia, ele informou que conversou com Lula nessa sexta-feira (8) e marcou reunião para a próxima semana. Já a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) está na Argentina.

Centenas de pessoas estão dentro e fora da sede do Sindicato, aguardando a hora de ouvir Lula, que estava cumprindo pena por corrupção desde 7 de abril do ano passado.

Aos poucos, vão chegando caravanas de várias cidades de dentro e fora de São Paulo portando faixas e cartazes com dizeres da Campanha "Lula Livre" e cantando palavras de ordem como "Lula lá", trecho de um dos mais famosos jingles de campanha do PT, de 1989. Sobre o caminhão de som em que Lula fará seu discurso, os técnicos fazem os ajustes.

Ao contrário do clima tenso, de preocupação e apreensão, permeado de atos hostis contra a imprensa, que marcou os três dias que antecederam a prisão do maior líder petista, em 2018, hoje o ambiente é de festa. Os seguidores de Lula cantam, dançam saúdam amigos que não viam desde a última concentração no Sindicato, antes de Lula ser preso.

Muitos ambulantes aproveitam o evento para fazer dinheiro e abastecem a multidão, no local desde as primeiras horas deste sábado, com bebidas e espetinhos de churrasco. O policiamento é grande. Mas os policiais também transitam com tranquilidade no local.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link