Notícias

Fortalecido, Tite mostra confiança para ficar na Seleção Brasileira até 2022

Por Agência Estado, 08/07/2019 às 10:38
atualizado em: 08/07/2019 às 14:28

Texto:

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Acompanhado da família, um sorridente e realizado, Tite se sentou perto da taça da Copa América na noite desse domingo (7), no Maracanã, depois de derrotar o Peru na final por 3 a 1. A primeira conquista pela Seleção Brasileira fez o treinador se mostrar capaz de vencer a dependência de Neymar. O comandante se sente mais fortalecido e ainda mais respaldado no cargo.

Se a eliminação precoce na Copa do Mundo da Rússia e as atuações ruins nos amistosos colocavam o treinador sob perigo, agora o risco maior é de ele tomar a iniciativa e pedir para sair. "O Tite vem fazendo trabalho excepcional. Todos nós nos sentimos convictos pela maneira como jogamos. Eu fico feliz por ter vencido essa competição e ajudado o Tite", disse o goleiro Alisson.

O apoio público dos jogadores e agora a conquista de um título deixam o treinador mais confiante para seguir seu trabalho. Após superar o Peru, o técnico reiterou o plano de cumprir o contrato com a CBF até a Copa no Catar, em 2022. 

Porém, a saída do coordenador de seleções Edu Gaspar para o Arsenal está confirmada. E outras mudanças podem ocorrer na comissão técnica da seleção, como a saída de alguns outros membros de confiança.

"Há um monte de formas de ganhar, de jogar bem. O que gosto é que somos fiéis a uma ideia de futebol, que é consistente e busca resultados sem abrir mão de criação e, no processo criativo, traduzir isso em gols", comentou o treinador. 

Tite explicou ter aprendido e crescido com as críticas recebidas desta caminhada. "É uma satisfação dividir a alegria pelo título. Eu não encaro crítica como alguém que está contra mim. É do processo democrático na busca por crescimento." 

Por vezes arredio ao ser confrontado com temas polêmicos, o treinador se mostrou plenamente confiante depois do jogo deste domingo. Tite até quebrou o rígido protocolo da entrevista ao pedir para o encontro se alongar e até contrariar o fiscal da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) responsável por mediar e escolher quem fazia as perguntas.

Quando um jornalista estrangeiro lhe perguntava em inglês sobre a presença de Jair Bolsonaro no estádio, o fiscal interrompeu a pergunta e pediu para o tema ficar restrito ao futebol. Tite o contrariou e fez questão de responder. "Eu fico tão envolvido no futebol, tão envolvido nas situações... Meu foco é naquilo que tenho de essência, que é futebol, que é no campo, na minha conduta, na minha ética. As outras situações ficam à parte", comentou.

O treinador evitou abordar o futuro da Seleção Brasileira. Segundo ele, o momento é de desfrutar do título e aproveitar da tranquilidade para fazer, quem sabe, a convocação de novatos na lista para os amistosos em setembro. O que Tite mais quer como legado da Copa América é a força coletiva do time, que, mesmo sem Neymar, encontrou forças para despertar novos protagonistas, como Everton. 

"O Neymar é extraordinário. Mas o trabalho de equipe é importante. Pelé se machucou em 1962 (na Copa do Mundo) e Amarildo entrou. Portugal foi campeão da Euro sem o Cristiano Ronaldo em campo. É assim", completou, ao ressaltar a coletividade do time.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link