Notícias

Falta de políticas trabalhistas pode prejudicar o aleitamento materno

Por Redação , 09/08/2019 às 11:56
atualizado em: 09/08/2019 às 12:02

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Foto: Pixabay
Pixabay

Uma das principais preocupações da mulher com o fim da licença maternidade é como manter o aleitamento materno. A última reportagem da série especial sobre o Aleitamento Materno Exclusivo mostra os desafios para a mulher continuar amamentando, mesmo de volta às atividades profissionais. 

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), apenas 12% dos países oferecem uma licença-maternidade remunerada e adequada. De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), os governos e as empresas devem se esforçar para conceder, no mínimo, nove meses de licença remunerada combinada, dividida entre a mãe e o pai.

O órgão internacional ainda mostra que as mulheres no mercado de trabalho não estão recebendo apoio suficiente para continuar a amamentar. Apenas 40% das funcionárias com recém-nascidos têm os benefícios mais básicos associados à maternidade em seu local de trabalho, como pausas regulares durante o expediente para amamentação ou permitir a ordenha do leite materno e a existência de um ambiente propício e instalações adequadas para a amamentação.

Ouça aqui a matéria completa

A série de matérias especiais sobre aleitamento materno exclusivo teve a produção e edição da repórter Kátia Pereira e a colaboração da repórter Edna Coelho.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽️ Jogador foi decisivo contra o Santos.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽🎥 Confira a entrevista com o técnico celeste!

    Acessar Link