Notícias

Excesso de peso: um mal que precisa ser combatido o quanto antes

Por Redação, 08/10/2019 às 11:43
atualizado em: 08/10/2019 às 11:47

Texto:

Foto: Agência Brasil
Agência Brasil

Dados do Ministério da Saúde apontam que o excesso de peso é atualmente um dos mais relevantes problemas de saúde pública no mundo. Grande parte desses casos evolui, passando para a obesidade. Em 2006, o percentual de indivíduos obesos em nosso país era de 11,0% da população adulta, valores que se elevaram para 17,9%, em menos de 10 anos. Se considerarmos também os brasileiros com sobrepeso, mais da metade da nossa população apresenta excesso de peso corporal, o que corresponde a cerca de 58 milhões de brasileiros.

Na semana em que se comemora o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, lembrado em 11 de outubro, Geraldo Santana, médico endocrinologista e diretor do Instituto Mineiro de Endocrinologia, explica o quanto o crescimento dos casos é preocupante. “A obesidade, como fator de risco para doenças potencialmente graves, como diabetes, AVC, hipertensão e vários tipos de câncer, é, sem dúvida, um sinal importante de que a população não está indo no caminho ideal quando se fala em prevenção à saúde”.

O excesso de peso e a obesidade estão relacionados com o equilíbrio com o que se come e o que se gasta.  Porém, fatores emocionais, ansiedade, privação de sono e, principalmente, uma relação alterada com a comida, têm grande interferência. Fatores genéticos e ambientais também tem grande influência.

O médico faz um alerta para a faixa etária entre 18 e 24 anos que, segundo pesquisa do Ministério da Saúde, houve um aumento de pessoas com excesso de peso. “É a (faixa etária) que está mais voltada para o período de mais estresse, de dedicação a uma vida mais focada  em carreira e muitas vezes não consegue privilegiar o cuidado com a própria saúde”, afirma o doutor Geraldo Santana.

O caminho entre o excesso de peso e a obesidade pode ser rápido e perigoso, segundo o endocrinologista. Nesse caso, quando a pessoa começa a perceber que o peso dela está aumentando de forma progressivamente, ela não precisa aguardar entrar em uma categoria de excesso de peso para procurar ajuda. Isso, porque, de acordo com o especialista, naquele momento inicial é muito mais fácil corrigir desvios alimentares, alterações de comportamento de sedentarismo ou, até mesmo, alterações metabólicas e hormonais que estejam contribuindo para aquele processo.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link