Notícias

Documento diz que barragem da Vale em Brumadinho apresenta problemas desde a construção, em 1976

Por Redação , 25/09/2019 às 14:14
atualizado em: 25/09/2019 às 14:28

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Foto: Cadu Rolim
Cadu Rolim

A Superintendência Regional do Trabalho em Minas Gerais apresentou nesta quarta-feira um relatório sobre a barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que diz que a estrutura tem problemas desde a construção, em 1976.  Além disso, o documento mostra que os trabalhadores deveriam ter sido retirados do complexo desde 2016, como explica o auditor fiscal do trabalho, Marcos Ribeiro Botelho. 

“A barragem tinha problemas de drenagem. Por exemplo, não tinha drenagem em seu dique inicial. Em vários diques desconhecia-se o que realmente existia de drenagem. A linha freática na barragem sempre foi muito alta, sempre se aproximando muito dos diques. Em 2016 estudos apontaram fatores de segurança de até 1.06, bem menor que 1.30, que era o mínimo que a Vale adotava na época. Logo, nessa época, em junho de 2016, ela [a Vale] poderia ter acionado o Plano de Ação Emergencial de Barragens, retirado seus trabalhadores dali e por consequência, a população jusante.” 

De acordo com Botelho, 21 autos de infração já foram encaminhados para a empresa, que ainda pode contestá-los. “Além disso, a gente fiscalizou outras barragens no estado e chegamos à interdição de nove barragens. Agora vamos encaminhar um relatório para os órgãos competentes para que eles tomem as demais providências.”

A Vale informou, por meio da assessoria de imprensa, que não tomou conhecimento do relatório.

A barragem da Vale se rompeu no dia 25 de janeiro e deixou 249 mortos e 21 desaparecidos. Entre as vítimas, 258 eram funcionários da mineradora. 

Leia mais:

Oito meses da tragédia em Brumadinho: comércio e agricultura lutam para sobreviver 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link