Notícias

Dívida do governo com santas casas e hospitais filantrópicos passa de R$ 600 milhões

Por Redação , 28/11/2018 às 08:54
atualizado em: 28/11/2018 às 09:26

Texto:

Foto: Reprodução/ Santa Casa
Reprodução/ Santa Casa

Com mais de R$ 600 milhões para receber do governo estadual, hospitais filantrópicos e santas casas de Minas Gerais estão com problemas para manter o atendimento. Nessa terça-feira (27), o texto da medida provisória que socorre as unidades que atendem pelo SUS com recursos do FGTS foi publicado no Diário Oficial da União (DOU). A medida valerá até o fim de 2022. 

OUÇA A MATÉRIA COMPLETA 

A presidente do Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas Gerais (Federassantas), Kátia Rocha, destacou que “desde 2016, quando nós começamos a participar das reuniões do Ministério Público Estadual, junto com o procurador-geral de Justiça, nós já alertávamos que a situação de Minas Gerais, se não fosse trabalhada criando um fluxo financeiro de pagamento para essas instituições, mesmo em momentos de crise, que a coisa ia se agravar muito”, pontuou.

Para Kátia Rocha, “hoje nós estamos prestes a viver um colapso em todo o estado de Minas Gerais”. Ela destacou que em novembro de 2017, a Federassantas foi à Justiça “não apenas em prol dos hospitais (Filantrópicos), mas também em prol de toda coletividade que demandam do Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde reconheceu uma dívida pendente e disse que tem se esforçado para honrar com os compromissos. 

Desde 2017, o governo de Minas repassou quase R$ 378 milhões para os hospitais filantrópicos e santas casas. Ainda de acordo com a nota, o atraso também pode estar vinculado à demora na apuração de indicadores e ao cumprimento de metas. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Ainda falando sobre crescimento dos filhos: você acha que aos 18 anos o jovem já está preparado realmente para a vida? #ItatiaiaTPC

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Resultados anteriores têm mostrado que mais da metade dos alunos de 8 anos não consegue localizar informações em textos de literatura infantil ou escrever corretamente palavra...

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Segundo o Inep, mesmo mais caro do que o ano passado, o valor cobrado é abaixo do custo real do exame, que é de R$ 106,59

    Acessar Link