Notícias

Conselho recomenda que médicos perguntem aos pacientes sobre exame de sífilis

Por Aline Campolina, 01/10/2019 às 10:46
atualizado em: 01/10/2019 às 10:47

Texto:

Foto: SESA
 SESA

Para combater a sífilis, doença sexualmente transmissível da idade média que continua infectando e matando no Brasil, o Conselho Federal de Medicina (CFM) recomenda a todos os médicos que perguntem aos pacientes se eles desejam fazer o exame de detecção da doença e de outras infecções semelhantes. O objetivo é aumentar o número de diagnósticos e incentivar a prevenção. 

A doença pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios: sífilis primária, secundária, latente e terciária. Segundo a médica patologista clínica e professora da Universidade Federal Minas Gerais (UFMG), Suzane Preti Figueiredo Neves, a sífilis pode causar, inclusive, demência. 

O alerta é reforçado no caso das grávidas. A médica explica que além da possibilidade de a mulher passar a doença para o bebê, “a sífilis pode levar ao aborto, morte após o nascimento, doenças, como hepatite e pneumonia, e mais tardiamente sequelas”.

O tratamento é feito com penicilina benzatina. Qualquer pessoa pode fazer o teste para sífilis em uma unidade de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

Como prevenir?
O uso correto e regular da camisinha feminina e/ou masculina é a medida mais importante de prevenção da sífilis, por se tratar de uma Infecção Sexualmente Transmissível.

Quais são os sinais e sintomas?
Os sinais e sintomas da sífilis variam de acordo com cada estágio da doença, que divide-se em:

Primária - sintomas
Ferida, geralmente única, no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca, ou outros locais da pele), que aparece entre 10 a 90 dias após o contágio. Essa lesão é rica em bactérias. Normalmente não dói, não coça, não arde e não tem pus, podendo estar acompanhada de ínguas (caroços) na virilha.

Secundária - sintomas
Os sinais e sintomas aparecem entre seis semanas e seis meses do aparecimento e cicatrização da ferida inicial. Pode ocorrer manchas no corpo, que geralmente não coçam, incluindo palmas das mãos e plantas dos pés. Essas lesões são ricas em bactérias. Pode ocorrer febre, mal-estar, dor de cabeça e ínguas pelo corpo.

latente – fase assintomática - sintomas
Não aparecem sinais ou sintomas. É dividida em sífilis latente recente (menos de dois anos de infecção) e sífilis latente tardia (mais de dois anos de infecção).
A duração é variável, podendo ser interrompida pelo surgimento de sinais e sintomas da forma secundária ou terciária.

Terciária - sintomas
Pode surgir de dois a 40 anos depois do início da infecção. Costuma apresentar sinais e sintomas, principalmente lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas, podendo levar à morte. Uma pessoa pode ter sífilis e não saber, isso porque a doença pode aparecer e desaparecer, mas continuar latente no organismo. Por isso é importante se proteger, fazer o teste e, se a infecção for detectada, tratar da maneira correta. O não tratamento da sífilis pode levar a várias outras doenças e complicações, inclusive à morte.
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link