Clique e ouça
Carregando ...
Apresentação
por Rádio Itatiaia em Jornalismo / Atualizado

Comandante-geral da Polícia Militar de MG, coronel Marco Bianchini renuncia ao cargo

O comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), coronel Marco Antônio Badaró Bianchini, renunciou ao cargo. O pedido teria sido feito nessa terça-feira (10) ao governador Fernando Pimentel com a alegação de problemas pessoais.

Bianchini teria indicado para substituí-lo o coronel Helbert Figueiró de Lourdes, atual chefe do Estado-Maior, nome que receberia o aval de Pimentel.

Agricultura

Quem também renunciou ao cargo foi Thiago Cota, nomeado secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais. Cota, que é deputado estadual pelo PMDB, foi nomeado por Pimentel, mas não chegou a assumir a pasta.

Em nota que será divulgada nesta quinta-feira, o parlamentar vai dizer que passa por um momento familiar "turbulento" após o falecimento da filha por leucemia, e que precisa dar suporte à esposa e estar no dia a dia da família. Segundo ele, o cargo exige dedicação e serenidade e, por isso, tornar-se secretário neste momento seria imprudente.

O deputado agradecerá ao governador Fernando Pimentel, à bancada do PMDB na Assembleia por confiar a ele a representação no governo, aos eleitores e à base política pela solidariedade, apoio e compreensão.

Saúde

O governo de Minas publicou nesta quarta-feira a troca de secretário de Saúde. O deputado Sávio Souza Cruz (PMDB) reassume a pasta que há pouco mais de dois meses era respondida interinamente pelo secretário adjunto Nauton Moreira.

Após denúncia veiculada pela Itatiaia nesta quarta-feira, de que Minas Gerais estava sem coordenador de imunização em meio a um surto de febre amarela, a Secretaria de Saúde afirmou que a nova coordenação é providenciada e que a pessoa que ocupava o cargo pediu desligamento no dia 2 de janeiro.

Enquanto isso, segundo a pasta, a equipe técnica é assistida e orientada pela diretoria e Superintendência de Vigilância Epidemiológica e pela Subsecretaria de Vigilância e Proteção à Saúde.

Em nota, a secretaria informa que a prevenção de doenças como a febre amarela é prioridade, e que para tratar do surto foram convocados funcionários que estavam de férias. Além disso, há envolvimento de todas as autoridades no enfrentamento da questão.

A pasta ressalta que há vacinas suficientes e que foi solicitado um quantitativo maior ao Ministério da Saúde, que colocou o estado como prioridade para auxílio, caso necessário.

Comentários

Aviso: O espaço abaixo é destinado para debatermos o tema e criticar ideias. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira alguma. Por isso, nos damos ao direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).

Ouvindo: