Clique e ouça
Carregando ...
Apresentação
por Editoria de web em Esporte

Caso Victor: Justiça de Porto Alegre determina a penhora das contas do Atlético

Foto: Bruno Cantini/Atlético

O caso Victor segue tendo desdobramentos desfavoráveis ao Atlético. Na noite desta quarta-feira, o juiz da 17ª Vara Cível de Porto Alegre, Mauro Caum Gonçalves, soltou um despacho aceitando o pedido do Grêmio para penhorar as contas do clube alvinegro para quitar o restante da dívida – estipulada em R$ 10,5 milhões – pela transferência do goleiro em junho de 2012.

Com a decisão, qualquer valor que já esteja nas contas do Atlético ou que for depositado será bloqueado e transferido para uma conta em juízo até que se alcance o montante da dívida. Na última segunda-feira, o clube gaúcho já tinha conseguido na Justiça penhorar parte do dinheiro da venda de Lucas Pratto para o São Paulo.

Caso o São Paulo já tenha depositado para o Atlético uma parcela do total de R$ 20,6 milhões pela compra de 50% dos direitos econômicos do atacante Lucas Pratto, o Banco Central será acionado para que a conta seja penhorada. Na ação, o Grêmio pede ainda o bloqueio de valores que o Galo tem a receber, como por exemplo, os direitos de transmissão de televisão.

Para não ter o dinheiro bloqueado, o Atlético estuda a possibilidade de colocar o clube Labareda como garantia no processo. O imóvel, localizado no Bairro Itapoã, Região da Pampulha, está avaliado em mais de R$ 40 milhões, de acordo com o diretor jurídico do clube, Lásaro Cândido Cunha.

Além de penhorar as contas do Atlético, o Grêmio promete ir à CBF na próxima semana proibir que o clube alvinegro faça novas contratações enquanto o débito não for quitado. Para solicitar a punição, o Tricolor Gaúcho se baseia no artigo 67, § 3º, alínea d, do Regulamento Nacional de Registros e Transferência de Atletas de Futebol (RNRTAF).

Desde o ano passado, Atlético e Grêmio discutem na Justiça o real valor devido pela transferência de Victor. Na época, ficou acertado que o Galo pagaria 3 milhões de euros em dois pagamentos, além de ceder 50% dos direitos econômicos do zagueiro Werley, atualmente no Coritiba.

Mas o Atlético depositou somente a primeira parcela e, desde então, não pagou a segunda, alegando que o Grêmio emprestou Werley ao Santos, em 2015, sem repassar parte do valor ao Galo. Já o clube gaúcho se defende dizendo que cedeu o atleta de graça e que, por isso, não tem o que pagar. A equipe mineira declara ainda que, por ter 50% dos direitos econômicos do defensor, teria que ser consultado pelo Tricolor antes da realização do empréstimo.

Comentários

Aviso: O espaço abaixo é destinado para debatermos o tema e criticar ideias. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira alguma. Por isso, nos damos ao direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).

Ouvindo: