Notícias

Após sofrer gol relâmpago e perder pênalti, Atlético marca no fim e vence Chape de virada

Por Redação/Agência Estado, 14/07/2019 às 20:58
atualizado em: 15/07/2019 às 10:59

Texto:

Foto: TARLA WOLSKI/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
TARLA WOLSKI/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Em um jogo com várias situações, os reservas do Atlético conquistaram um importante resultado fora de casa no Campeonato Brasileiro. Após levar o gol da Chapecoense com 20 segundos e perder um pênalti na etapa final, o time alvinegro conseguiu chegar ao empate e virou o placar nos últimos minutos de jogo vencendo por 2 a 1, neste domingo, na Arena Condá, pela 10ª rodada.

Everaldo abriu o placar para a Chape de cabeça após cruzamento da direita. Foi o gol mais rápido do Brasileirão 2019. O Atlético teve a chance de empatar o jogo aos 26 minutos do segundo tempo em uma cobrança de pênalti assinalada pelo VAR, mas Ricardo Oliveira desperdiçou ao chutar no canto e o goleiro Tiepo pegar.

Mas oito minutos depois, o zagueiro Iago Maidana foi ao ataque e balançou as redes empatando para o Atlético. Otero bateu falta, o goleiro não segurou firme e o defensor alvinegro completou para o fundo do gol.

Aos 54 minutos, Vinícius fez uma boa jogada individual e marcou o gol da virada atleticana em Chapecó.

Com o resultado, o Atlético pulou para a quarta colocação, com 19 pontos. Já a Chapecoense se manteve na zona de rebaixamento, em 18º lugar, com oito.

A vitória de virada dá moral para o Atlético na Copa do Brasil. Após perder por 3 a 0 no Mineirão, no primeiro jogo das quartas de final, o time alvinegro precisa reverter a vantagem do Cruzeiro no duelo de volta na próxima quarta-feira, às 19h15, no Independência. Para ficar com a vaga, o Galo tem que vencer por quatro gols de diferença. Se ganhar por três de vantagem, leva a decisão para os pênaltis.

O jogo

Com o foco voltado para a Copa do Brasil, o Atlético, por decisão do técnico Rodrigo Santana, atuou com os reservas no interior catarinense. E a Chapecoense teve o melhor início de jogo possível. Logo no primeiro ataque, Eduardo avançou pelas direita e fez cruzamento preciso para Everaldo cabecear para as redes, livre de marcação e sem chance de defesa para Cleiton, fazendo 1 a 0 aos 20 segundos. A vantagem precoce pareceu abalar o Atlético, já pressionado pela derrota no meio de semana pela Copa do Brasil, e empolgar a Chapecoense, que quase ampliou na sequência com Camilo, em cobrança de falta.

O Atlético demorou a se ajustar em campo, algo que só foi acontecer após os dez minutos iniciais. A partir daí, o time teve posse de bolsa no campo de ataque, embora nem sempre conseguisse transformá-la em chances de gol, pois lhe faltava repertório diante da retranca adversária. A maioria das oportunidades envolvia Otero, em cobranças de falta e de escanteio, sendo que em uma dessas Ricardo Oliveira perdeu oportunidade clara. Já em lances pelo meio, Vinicius também poderia ter marcado, mas falhou. Assim, o primeiro tempo terminou com a Chapecoense em vantagem. 

A etapa final foi ainda mais movimentada. O Atlético impôs pressão nos minutos iniciais e chegou a até acertar o travessão em cabeceio de Maidana após cobrança de escanteio de Otero. Mas ao contrário da etapa final, a Chapecoense era mais efetiva em contra-ataques, tornando o confronto emocionante e com várias chances de gol. 

A melhor oportunidade para o Atlético empatar o duelo veio aos 26 minutos, quando a arbitragem marcou pênalti, após consulta ao VAR, numa jogada em que a bola tocou no braço de Douglas. Mass o goleiro Tiepo salvou a Chapecoense ao defender a cobrança de Ricardo Oliveira, que completou o 11º jogo sem marcar pelo time. 

Mas o erro de Ricardo Oliveira não desanimou o Atlético, tanto que o time se manteve no ataque e conseguiu arrancar o empate em mais uma jogada iniciada por Otero. O venezuelano cobrou falta, Tiepo espalmou, Maicon Bolt pegou o rebote e cruzou para Maidana empurrar às redes, fazendo 1 a 1 aos 34 minutos. Ouça o gol na narração do 'Caixa' Mário Henrique!

Foi só a partir daí que a Chapecoense buscou ser mais ofensiva. E teve duas boas chances para conquistar a vitória, com Augusto, que parou em Cleiton, e Diego Torres. Mas não conseguiu e ainda foi vazado. Aos 54 minutos, Ricardo Oliveira protegeu a bola para Vinicius, que driblou seu marcador e finalizou às redes, definindo o triunfo atleticano. Ouça o gol na narração do 'Caixa' Mário Henrique!

Chapecoense 1 x 2 Atlético

Chapecoense: Tiepo; Eduardo, Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Márcio Araujo, Campanharo (Aylon) e Camilo (Augusto); Arthur Gomes, Alan Ruschel (Diego Torres) e Everaldo. Técnico: Ney Franco

Atlético: Cleiton; Guga, Maidana, Léo Silva e Lucas Hernández; Ramón Martínez (Papagaio), Jair, Vinícius, Otero (Bruninho) e Geuvânio (Maicon Bolt); Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana

Motivo: 10ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 14 de julho de 2019, domingo, às 19h
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)

Gols: Everaldo (20 segundos/1º), Maidana (34’/2º), Vinícius (54’/2º)

Cartão Amarelo: Leonardo Silva, Vinicius, Lucas Hernández, Maidana, Maicon Bolt (Atlético); Alan Ruschel, Douglas, Eduardo (Chapecoense)

Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PB)
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
VAR: Marcio Henrique de Gois (SP)

Público: 2.600
Renda: R$ 48.000,00

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link