350 Dias para Copa

Notícias

A empresa WRV Empreendimentos e Participações LTDA conseguiu bloquear as contas do clube para o pagamento de dívida referente ao empréstimo feito no ano de 2000 para a renovação dos contratos do zagueiro Cláudio Caçapa e do atacante Guilherme

Pede R$ 65 milhões

Por Editoria de web , 16/02/2017 às 21:34
atualizado em: 17/02/2017 às 20:26

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00

A venda de Lucas Pratto para o São Paulo segue rendendo dor de cabeça para o Atlético. Depois do Grêmio, a empresa WRV Empreendimentos e Participações LTDA conseguiu bloquear as contas do clube para o pagamento de dívida referente ao empréstimo feito no fim da década de 1990 para a contratação do atacante Guilherme e a renovação do contrato do zagueiro Cláudio Caçapa. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira pelo juiz Marco Aurélio Albuquerque, da 24ª Vara Cível de Belo Horizonte.

Na decisão, o juiz pede para que o São Paulo não faça o depósito ao Atlético, mas para uma conta judicial até a decisão final do processo. Nessa quarta-feira, o Grêmio obteve uma vitória idêntica na Justiça de Porto Alegre para o pagamento da dívida pela venda do goleiro Victor, em junho de 2012.

Na época, sob a administração de Nélio Brant, o Atlético recorreu a empresários ligados ao grupo mineiro para conseguir o empréstimo de R$ 7 milhões. Para obter o dinheiro, o clube ofereceu os direitos econômicos de Guilherme e Cláudio Caçapa como garantia na negociação.

Em 2006, a dívida estava em R$ 17 milhões, mas o Conselho Deliberativo do Atlético recorreu e obteve uma liminar na Justiça que o desobrigava a pagar. Mas em 2008, a empresa conseguiu derrubar o veto e passou a cobrar R$ 21 milhões. O então presidente Ziza Valadares reconheceu a dívida e chegou a renegociar o débito, mas os pagamentos foram interrompidos.

Na ação de agora, os empresários pedem o pagamento imediato de R$ 65 milhões. O Atlético ofereceu como garantia o Shopping Diamond Mall, mas o juiz entendeu que a penhora teria que ser em dinheiro e não em um imóvel.

Lado do Atlético

O Atlético informa que há um processo tramitando no Supremo Tribunal de Justiça (STJ) sobre o caso. O clube também se mostrou surpreso com o pedido de bloqueio de contas por um “juiz de direito de primeiro grau” e avisou que entrará com uma liminar para cassar a decisão.

“Sobre a causa da WRV, que tem origem no final da década de 90, o Atlético informa que há um recurso, já admitido, no STJ em Brasília, que em caso de acolhimento fará a anulação total do crédito que a empresa em questão cobra. Por sua vez, mesmo em se tratando de uma execução ainda provisória - depende de julgamento final do STJ - ainda assim a WRV pediu bloqueio das contas do clube, o que causou estranheza com acolhimento de juiz de direito de primeiro grau, conforme decisão divulgada pela mídia. Para preservar os seus direitos o Atlético usará os dispositivos legais cabíveis, usando inclusive, pedido de liminar para a cassação da ordem judicial”, informou o Atlético em nota.

Ouça as informações com Cláudio Rezende e Emanuel Carneiro

Escreva seu comentário

Preencha seus wdados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Alisson, Thiago Neves e Ariel Cabral receberam pancadas ontem e serão reavaliados. Mas não devem ser problema pro clássico contra o Atlético

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Daqui a pouco, diretor de futebol do @americamg confirma na Itatiaia, a saída de Gustavo Blanco. (Por… https://t.co/Q8bmkoXZbD

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Pela portaria assinada pelo ministro José Sarney Filho, será preciso aprovar um determinado número de licenças para que as metas de gratificação sejam atingidas.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    "Se quando eu sair não arrumar emprego, porque se meu filho pedir um prato de comida, infelizmente, vou ter que roubar, matar e fazer o que for necessário", avisa.

    Acessar Link