PMC - Maxi 970 x 150

Notícias

Após derrota para Colón, Atlético desembarca em BH sob forte escolta policial

Por Agência Estado, 20/09/2019 às 09:20
atualizado em: 20/09/2019 às 15:07

Texto:

Foto: Cláudio Rezende/ Itatiaia
Cláudio Rezende/ Itatiaia

A derrota de virada por 2 a 1 para o Colón, em Santa Fé, na Argentina, pela rodada de ida das semifinais da Copa Sul-Americana na noite dessa quinta-feira (19) foi a quarta seguida, contando também o Campeonato Brasileiro, e a quinta nos últimos seis jogos. A má fase do time fez a diretoria tomar certos cuidados na volta da delegação para Belo Horizonte. No desembarque no Aeroporto Internacional de Confins, um forte esquema de segurança foi armado, mas o clima foi de tranquilidade pela ausência dos torcedores.

Além de vários seguranças do clube, muitos policiais militares fizeram a escolta dos jogadores até a Cidade do Galo. O meia equatoriano Cazares e o atacante colombiano Chará, alvos de protestos antes da ida para a Argentina, foram escoltados até um carro particular.

Com a derrota em Santa Fé, o Atlético precisa de uma reviravolta na partida de volta, marcada para a próxima quinta-feira (26), às 21h30, no Mineirão. O time alvinegro precisa de uma vitória por 1 a 0 ou um triunfo por dois ou mais gols para chegar direto à decisão. Se ganhar por 3 a 2 ou 4 a 3 em diante, a vaga será do Cólon. Um novo 2 a 1, desta vez para os brasileiros, levará o confronto para a disputa por pênaltis.

Para esta partida, o técnico Rodrigo Santana espera contar com o volante Jair, que vem tratando um estiramento no músculo posterior da coxa direita. "O Jair, possivelmente, volta. O tratamento, o trabalho é em cima desse retorno. Também era mais um jogador que estava pendurado e, de repente, se faz esse jogo, toma um amarelo, não estaria no jogo de volta", disse.

Antes do duelo decisivo pela Copa Sul-Americana, o foco volta para o Campeonato Brasileiro. Nesta segunda-feira (23), no estádio da Ressacada, em Florianópolis, o Atlético visita o Avaí, pela 20.ª rodada, em busca de reabilitação. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link