Auto Truck CPM Interno

Notícias

Adiada votação em 2º turno do Projeto de Lei da Arena MRV na Câmara de BH

Por Redação, 12/09/2019 às 17:30
atualizado em: 13/09/2019 às 12:57

Texto:

Foto: Divulgação
Divulgação

A torcida do Atlético terá que esperar mais algumas semanas para ver o Projeto de Lei (PL) da Arena MRV ser votado em 2º turno no Plenário da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Assim como aconteceu na quarta-feira (11), os vereadores não chegaram a um acordo no debate sobre o PL ‘Escola Sem Partido’, obstruindo a votação das outras propostas interferindo no PL 817/19, que dispõe sobre desafetação de áreas públicas para fins de reparcelamento do solo do terreno onde o Galo pretende construir o estádio.

A sessão desta quinta-feira durou poucos minutos e foi encerrada por falta de quórum, já que menos de 21 vereadores compareceram. Desta forma, a votação do PL envolvendo a Arena MRV foi adiada e só deve ocorrer em outubro, de acordo com o vereador Gabriel Azevedo (sem partido).

“A Câmara Municipal vota sempre nos 10 primeiros dias úteis do mês. Amanhã (sexta-feira) é a última sessão. Há a previsão de um processo de cassação de vereador (Flávio dos Santos - Podemos), isso leva um tempo, porque tem que ler a denúncia inteira. É costume da Casa derrubar o quórum após a leitura. Portanto, a previsão é que (a votação do PL da Arena MRV) só volte em outubro”, declarou.

Gabriel Azevedo afirmou ainda que o Projeto de Lei da Arena MRV está sendo usado por alguns vereadores para travar a pauta de votação na Câmara. “Quem quer obstruir (a pauta) utiliza outros projetos para atravancar o processo, ou seja, se faz requerimentos dos projetos de lei, e isso vai atrasando. Quanto menos projetos há na pauta para se fazer isso, menos a pessoa consegue obstruir. Quem quer obstruir hoje, que é praticamente a bancada da esquerda, não vai conseguir fazer isso tão bem sem o projeto do Galo, que está sendo usado neste sentido”, acusou.

Na última terça-feira (10), o Projeto de Lei do estádio do Atlético foi aprovado pelos vereadores em 1º turno por unanimidade (38 votos a 0).

Antes da análise pelo Plenário da Câmara, o Projeto de Lei da Arena MRV foi aprovado por quatro comissões da Casa: Legislação e Justiça, Meio Ambiente, Administração Pública e Orçamento e Finanças Públicas.

Documento Autorizativo para Intervenção Ambiental

No dia 2 de outubro haverá uma reunião do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) para debater o parecer pela regularização ambiental proposta para intervenção em Áreas de Preservação Permanente (APP's).

A expectativa do Atlético é que o clube consiga a autorização para a obtenção do Documento Autorizativo para Intervenção Ambiental (Daia) junto ao Instituto Estadual de Florestas (IEF). O documento é uma das condicionantes para a obtenção da Licença de Instalação (LI).

A proposta de compensação ambiental consiste na regularização fundiária em área de conservação correspondente a mais que o dobro da vegetação nativa (Mata Atlântica) a ser suprimida.

O terreno definido para essa contrapartida fica no Parque Nacional da Serra da Gandarela, no município de Rio Acima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A área será destinada ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia de regime especial, vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, e que integra o Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama).

Arena MRV

A Arena MRV terá capacidade para 47 mil torcedores e custará R$ 410 milhões, mas, de acordo com o Atlético, nenhum centavo sairá do futebol. Em setembro do ano passado, os conselheiros do clube aprovaram a venda de 50,1% do shopping Diamond Mall para a Multiplan, o que irá gerar R$ 250 milhões para a obra. O restante do dinheiro será captado por meio da venda do naming rights (a MRV comprou os direitos por R$ 60 milhões) e da comercialização de cerca de 4.700 cadeiras cativas do estádio por R$ 100 milhões (60% do valor já foi garantido pelo banco BMG).

Além de construir o estádio, o Atlético terá que trazer benefícios para os moradores da região, como arcar com obras de melhorias no trânsito.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link