Notícias

A um ano das eleições, saiba quais são os nomes cotados para a Prefeitura de Belo Horizonte

Por Redação, 07/10/2019 às 09:12
atualizado em: 07/10/2019 às 14:19

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Foto: Breno Pataro
Breno Pataro

Faltando um ano para as eleições municipais, crescem as especulações de concorrentes à Prefeitura de Belo Horizonte. Conforme levantamento feito pela Rádio Itatiaia, mais de dez nomes são cotados. Confira: 

Ouça aqui com Edilene Lopes 

Alexandre Kalil (PSD)

Atual prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil já admitiu publicamente que é candidato à reeleição. Em uma pesquisa divulgada em agosto deste ano pelo Instituto Paraná, o nome dele aparece na primeira colocação das intenções de voto, com 40,2%. 

A definição sobre quem será o vice na disputa é um ponto delicado, já que conversas de bastidores dizem que Kalil pode concorrer ao governo de Minas em 2022, deixando o vice com a prefeitura da capital. 

João Vitor Xavier (Cidadania)

O político foi reeleito, em 2018, para o seu terceiro mandato consecutivo de deputado estadual. “O meu nome está à disposição do meu partido. Tenho conversado com muitas lideranças da cidade, com a sociedade civil organizada, com pessoas que querem construir uma Belo Horizonte diferente da que temos hoje. Durante esse próximo ano, dialogaremos com a cidade para apresentar uma proposta de Belo Horizonte”, disse à reportagem. 

Mateus Simões (Novo) 

O Novo, partido que chegou ao Executivo estadual nas eleições de 2018 com Romeu Zema, deve ter um candidato à Prefeitura de BH. Um nome que ganha força dentro da legenda é do vereador Mateus Simões. 

“O Novo tem processo seletivo para seus candidatos, tanto vereadores quanto prefeitos. No caso de Belo Horizonte, o processo seletivo está aberto. Nós precisamos ajudar Belo Horizonte a sair dessa paralisia populista. Eu vou colaborar para ajudar Belo Horizonte, seja como prefeito ou como vereador.”

Gabriel Azevedo (sem partido)

Outro vereador que frequentemente tem o nome ligado à disputa pela Prefeitura de BH é Gabriel Azevedo, que atualmente está sem partido. Ele é professor no Movimento de Formação Política Renova BR e não confirma à candidatura, mas não descarta a possibilidade. Publicamente, Azevedo assume oposição ao prefeito Kalil. 

“Eu fico muito satisfeito com a lembrança do meu nome, e nesse momento estou muito focado em honrar cada um dos votos que recebi para o mandato de vereador. Muito provavelmente, eu quero colocar meu nome à disposição da capital mineira para a gente continuar fazendo diferença para a cidade. Existem duas possibilidades: vereador ou prefeito. Essa é uma decisão que ainda não está na hora de ser tomada”.

Duda Salabert (PDT)

Primeira candidata trans ao Senado, Duda Salabert não foi eleita ao cargo federal em 2018. Contudo, a quantidade expressiva de votos que obteve (mais de 350 mil) faz com que ela pense em concorrer ao Executivo municipal. 

“Eu deixei meu nome à disposição do partido. É possível. Acredito que nesse contexto de crise econômica, é fundamental nós professores ocuparmos a política e colocar a educação no protagonismo das políticas públicas”, disse. 

Mauro Tramonte (PRB)

Mais votado entre os deputados estaduais eleitos em 2018, Mauro Tramonte transferiu o título de Poços de Caldas para Belo Horizonte, mas, segundo apurado pela Itatiaia, ainda não cogita a candidatura. Na pesquisa do Instituto Paraná, o apresentador aparece na segunda posição, com 19,5 % das intenções de voto, atrás de Kalil. 

“Ainda não conversámos sobre isso, apesar de meu nome estar crescendo. Tem que ter muita conversa e nós vamos fazer isso em tempo oportuno.”

Júlio Delgado (PSB)

Entre os deputados federais, Júlio Delgado é o que tem nome mais forte. Nas eleições de 2018, o político esteve no centro do conflito envolvendo o ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda, que na ocasião era pré-candidato ao governo do estado, pelo PSB. 

Uma aliança com o PT, em âmbito de executivas nacionais, fez com que o partido optasse por não ter candidato em Minas. Desgastado com a sigla, Lacerda deixou o PSB. 

Professor Wendel (Solidariedade) 

Deputado estadual, o político também estaria com o nome à disposição da legenda. “Estamos preparando para lançar candidaturas em todas as capitais brasileiras. Com certeza avaliamos a possibilidade. Meu nome está bem quisto no partido.”

Wadson Ribeiro (PCdoB) 

Para 2020, o PCdoB, que já teve o nome de Jô Morais na disputa para o Executivo, apresentou o nome do ex-deputado federal Wadson Ribeiro. 

Luisa Barreto – secretária adjunta de planejamento 

A funcionária pública estadual Luisa Barreto é cotada para concorrer pelo PSDB. 

Ainda sem nome definido – PSL 

O partido do presidente Jair Bolsonaro estuda se terá ou não um candidato à Prefeitura de BH. Internamente, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, aparece como principal nome. Álvaro foi indiciado pelo Ministério Público e pela Polícia Federal e é acusado de estar à frente de candidaturas laranja no PSL em 2018. 

Ainda sem nome definido – Psol 

O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) terá candidato ao Executivo municipal. A informação foi confirmada à reportagem por Katia Sales, presidente da sigla em Belo Horizonte. Contudo, ainda não há um nome confirmado. 

Ainda sem nome definido –  PT 

O Partido dos Trabalhadores ainda não definiu se terá candidatura própria, mas internamente os nomes dos deputados federais Rogério Correia e Reginaldo Lopes são bem avaliados. O deputado estadual André Quintão também é bem cotado.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    ⚽️ Jogador afirmou não guardar mágoa do Cruzeiro e disse que tem amigos no clube celeste.

    Acessar Link