Gustavo Lopes

Coluna do Gustavo Lopes

Veja todas as colunas

Profissionalismo: Cruzeiro dá exemplo

Profissionalismo: Cruzeiro dá exemplo

04/12/2017 às 05:02

A última rodada do Brasileirão reservou muitas emoções. As últimas vagas para a Copa Libertadores foram definidas nos acréscimos, com os gols que classificaram Chapecoense e Flamengo para o torneio continental, e outro que deixou o Atlético em nono lugar, torcendo para uma conquista rubro-negra na Copa Sul-Americana.

O Galo entrou em campo precisando vencer e torcendo para dois tropeços: de Flamengo, Vasco, Botafogo ou Chapecoense contra, respectivamente, Vitória, Ponte Preta, Cruzeiro e Coritiba.

Na cabeça do atleticano, o mais improvável tropeço seria o do Botafogo, eis que o adversário do clube carioca era o Cruzeiro, que como campeão da Copa do Brasil, garantido na Libertadores e em 5º lugar no Brasileirão, não possuía aspirações e poderia “fazer corpo mole” para retirar o rival da Libertadores.

Entretanto, dentro do gramado se viu um cruzeiro profissional e aguerrido, que buscou a virada jogando fora de casa, levou o empate, mas poderia ter vencido, caso o árbitro tivesse marcado um pênalti a seu favor.

No fim das contas, o único tropeço dos clubes “secados” pelo Atlético veio graças à Raposa, o que demonstra que no futebol moderno não há espaço para paixões. São todos profissionais com nome e história a zelar e que nunca deixariam de buscar o seu melhor rendimento em razão de paixão de torcidas.

Tal atitude mostra porque o Cruzeiro tem uma das melhores estruturas do país e é um dos clubes mais vitoriosos do mundo. Esse profissionalismo eleva consideravelmente o respeito dos patrocinadores pela marca do clube.

Para aqueles que acreditam em “entrega de jogos” ou “combinação de resultados”, destaque-se que tal prática é crime, tal como estabelece o Estatuto do Torcedor:

Art. 41-E.  Fraudar, por qualquer meio, ou contribuir para que se fraude, de qualquer forma, o resultado de competição esportiva ou evento a ela associado:

Pena - reclusão de 2 (dois) a 6 (seis) anos e multa.

A paixão, portanto, deve ficar somente no âmbito da torcida, enquanto os atletas, dirigentes e comissão técnica devem tratar o futebol com profissionalismo, como ocorreu com o Cruzeiro, que teve nas mãos (ou nos pés) a chance de eliminar de vez o seu rival da Copa Libertadores.

Ao Atlético agora cabe, além de torcer pelo Flamengo, agradecer ao Cruzeiro pelo exemplo de profissionalismo e fair play que deu ao mundo do futebol.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link