Cadu Doné

Coluna do Cadu Doné

Veja todas as colunas

Mano: poucos jogos, vários testes  

Taticamente, o treinador parece andar com a mente irrequieta, criativa...  

12/02/2019 às 12:09

Bruno Haddad/Cruzeiro


O segundo volante do Cruzeiro de Mano Menezes, nos últimos anos, quase sempre atua um pouco à esquerda – e à frente – de Henrique. Tanto Cabral, quanto Lucas Silva – os caras que têm, de alguma maneira, se revezado neste posto –, muito claramente, na equipe que prima pela organização minuciosa, obsessiva, adorada pelo seu comandante – até pelo balanço, pelo trabalho que Robinho faz na outra beirada –, pendem ao apoio, às triangulações, à aproximação da ponta canhota. Na vitória contra o Tupynambás, Romero foi observado na função de segundo homem, ao lado de Henrique – algo não tão comum; e, além disso, no primeiro tempo, posicionou-se à direita do capitão, ou seja: a Raposa teve, ao contrário do que vigora esmagadoramente, seu segundo volante subindo, atacando mais pelo flanco de Edílson. Na etapa final, “El Perro” e Henrique inverteram os lados.

Na coletiva concedida após o triunfo diante do Villa, Mano destacou que Marquinhos Gabriel poderia jogar por trás do camisa “9”, centralizado, salientando que este atleta vinha trabalhando assim no “mundo árabe”. Parecia uma possibilidade especulativa demais, na medida em que o ex-Corinthians é rotulado no Brasil em geral e um tanto acintosamente como um “ponta”. No cotejo seguinte, porém, quando Rodriguinho deixou o gramado, e Jádson entrou – realizando o labor de Robinho, pela direita –, Marquinhos abandonou a esquerda e buscou ocupar o centro, contemplando na prática rapidamente uma opção que ressoava longínqua, mero discurso, na semana anterior.

Renato Kayser é enxergado como uma alternativa de velocidade para as extremidades do campo. Peça para operar aberta na linha de três meias. Ao dar as caras no embate frente ao clube de Juiz de Fora no Mineirão, entretanto, ele se portou como um segundo atacante, mais enfiado, ao lado de Raniel – que já substituíra Fred. Neste instante, o esquadrão azul passou a alternar entre um sistema com duas linhas de quatro e outro com um losango no meio – dependendo da movimentação de Marquinhos Gabriel, ora como um parceiro de Egídio, ora como uma ponta-de-lança.     

Há um discurso batido no futebol brasileiro de que o início de temporada para os grandes, nos estaduais, deve servir para testes. Inclusive de ordem tática. Pela mesmice que prepondera entre nossos professores, estas falas raramente saem do papel; provam-se retórica vazia. Em 2019, pelo menos até aqui, Mano vem se colocando como exceção na seara assinalada: em apenas 90 minutos, conforme atestado acima, ele recorreu a experimentações mil. E de tipos distintos: atletas utilizados em funções/setores variados e/ou que escapavam de suas rotinas, mudanças de esquema... Nesta e em outras acepções, Mano segue muito bem. E novamente um tanto subestimado, esquecido pela mídia nacional. Talvez seja melhor assim...

Nessas mutações, em meio a estes quebra-cabeças, aparecem os famosos “problemas que todo técnico quer ter”. Robinho destacou-se em 2018, pela direita – que me desculpe a imprensa mineira, mas sua ausência na seleção do Guará beira a aberração. Começou este ano correspondendo – na sua atribuição mais corriqueira, e como “10”. Na sua ausência, Rafinha agradou bastante nos dois últimos duelos, principalmente ao trafegar justamente pelo espaço preferido pelo primeiro. Somando esta constatação à de que Marquinhos Gabriel vem surpreendendo positivamente – pela esquerda, especialmente –, e se lembrarmos que, pelas circunstâncias, Thiago Neves, Rodriguinho e Robinho ainda nem puderam ser escalados juntos, fica a sensação de que o Cruzeiro realmente apresenta ótimas perspectivas para todas as competições que disputará. E olha que nem falei que David vinha dando bons sinais, que tanto Henrique quanto Romero permanecem em alto nível – o que gera dúvidas inclusive porque um dos encaixes de Rodriguinho com os outros meias mais talentosos do plantel poderia ser com ele entrando de segundo volante, o que impossibilitaria esta dupla de mais pegada de jogar junta; e ainda há Lucas Silva...

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    🚦#TrânsitoNoAr 🚁 Batida envolvendo dois carros e uma moto na avenida Cristiano Machado, após a José Cândido da Silv… https://t.co/DULayIbkp2

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Com eles foram apreendidos 15 quilos de cocaína, R$ 26 mil, porções de crack e duas armas municiadas - um revólver calibre 38 e outro calibre 22.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Um dos detidos, Jonatan Rodrigues da Silva, de 22, tem diversas passagens pela polícia e saiu da cadeia em março.

    Acessar Link