Álvaro Damião

Coluna do Álvaro Damião

Veja todas as colunas

Agora sim!

Não acho que é o momento de cantar vitória ou dizer que já pode entregar a taça. Há seis rodadas em jogo e tudo pode acontecer! Mas depois do clássico paulista, o moral do Corinthians está elevado e isso é combustível suficiente para consagrar-se campeão

07/11/2017 às 04:34

O título do Brasileirão ainda não está definido, mas o Corinthians já está com uma mão na taça. A mão pode escorregar e outro time gritar “é campeão”? Pode sim, mas no último domingo, o time de Fábio Carille mostrou ao país que tem o elenco mais preparado para o título.

No clássico com o Palmeiras, na Arena Corinthians, o jogo não valia apenas três pontos. A vitória por 3 x 2 diante do rival serviu para ressaltar os motivos pelos quais o time alvinegro está no topo da tabela. E o clássico teve de tudo: gol polêmico, expulsão de um jogador do Palmeiras e até selfie em comemoração de gol. E digamos, a vitória serviu para fortalecer ainda mais o elenco corintiano.

Esse clássico era a chance do Palmeiras colocar fogo no campeonato. Se vencesse estaria, de fato, na briga pelo título. Com o resultado, o Corinthians está com seis pontos de vantagem para o Santos, segundo colocado, e ainda garantiu matematicamente a classificação para a Libertadores. De acordo com o site Infobola, se o Palmeiras tivesse vencido o jogo, a chance do Corinthians ser campeão cairia de 70% para 44%. Com o triunfo, as chances aumentaram para 85%. 

E há algo que precisa ser destacado: o apoio da torcida. Nenhum time consegue ser campeão sem o apoio das arquibancadas! Nenhum! No último treino antes do clássico, 32 mil torcedores marcaram presença na Arena Corinthians para empurrar o time. Não havia um torcedor sequer que questionasse o momento do time. Estavam ali para apoiar o time, num clima de paz! Quer mais motivação que isso? Quer preleção melhor do que essa? Desconheço.

 O torcedor do Corinthians fez o papel de mãe! Apontou os erros no momento certo e incentivou quando devia. O elenco percebeu que era preciso mudar de postura, que não havia nada ganho. Resultado do apoio? Vitória. O time que não marcava três gols em um jogo desde o dia 11 de outubro, voltou a balançar as redes com Romero, Balbuena e Jô. Só para se ter uma ideia da força do apoio: Romero que estava cinco meses sem marcar gol, deixou o dele.

Há quem diga que a arbitragem pode ter influenciado no resultado. Sinceramente? Não concordo. Em um momento como este não é o apito que faz a diferença, mas sim a união entre torcedor e elenco. 

Não acho que é o momento de cantar vitória ou dizer que já pode entregar a taça. Há seis rodadas em jogo e tudo pode acontecer! Mas depois do clássico paulista, o moral do Corinthians está elevado e isso é combustível suficiente para consagrar-se campeão. 

Como diz o técnico Adilson Batista: “Vamo aguardá” pra ver a briga pelas vagas da Libertadores! E é bom o Atlético abrir o olho pra não ficar fora da briga.

Tamo junto e até a próxima! 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link